Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Home Tecnologia SpaceX é acusada de demitir funcionários que criticaram Elon Musk

Compartilhe esta notícia:

A SpaceX foi acusada pelo conselho trabalhista dos EUA de demitir ilegalmente oito funcionários por causa de uma carta interna que criticava duramente o CEO Elon Musk.

Um diretor regional do National Labor Relations Board (Conselho Nacional de Relações Trabalhistas, em tradução livre) emitiu uma queixa contra a SpaceX nessa quarta-feira (3), alegando que a empresa interrogou, vigiou e retaliou ilegalmente os trabalhadores, disse a porta-voz da agência, Kayla Blado, por e-mail. Os trabalhadores demitidos incluem autores de uma carta aberta de 2022 protestando contra “comentários inapropriados, depreciativos e sexualmente carregados no Twitter” de Musk, escreveram seus advogados quando abriram o caso em 2022.

A denúncia do NLRB alega que a administração da SpaceX disse aos trabalhadores que os havia demitido por causa de sua carta aberta, restringiu outros de distribuí-la e ameaçou demissões se eles se envolvessem em uma ação coletiva, disse Blado.

“Na SpaceX, os foguetes podem ser reutilizáveis, mas as pessoas que os constroem são tratadas como dispensáveis”, disse uma das funcionárias, Paige Holland-Thielen, em comunicado por e-mail. “Tenho esperança de que essas acusações responsabilizem a SpaceX e sua liderança por sua longa história de maus-tratos aos trabalhadores e sufocamento do discurso.”

O julgamento está marcado para começar em 5 de março, disse o NLRB.

Em junho de 2022, um grupo de funcionários distribuiu uma carta aberta através dos canais de comunicação internos da SpaceX criticando o comportamento online de Musk e apelando à empresa para denunciar e se distanciar dos seus comentários públicos.

“O comportamento de Elon na esfera pública é uma fonte frequente de distração e constrangimento para nós, especialmente nas últimas semanas”, afirmava a carta.

Pouco depois de a carta circular na SpaceX, vários funcionários associados à redação da carta foram demitidos.

As reclamações apresentadas pelos promotores do NLRB são consideradas pelos juízes da agência, cujas decisões podem ser apeladas aos membros do NLRB em Washington e, em seguida, ao tribunal federal. A agência tem autoridade para ordenar que as empresas reintegrem trabalhadores demitidos e forneçam pagamentos atrasados, mas geralmente não pode responsabilizar pessoalmente os executivos por supostas irregularidades ou emitir quaisquer indenizações punitivas.

A lei federal protege o direito dos empregados de comunicar e protestar colectivamente sobre as suas condições de trabalho, com ou sem sindicato.

Embora Musk tenha se declarado um “absolutista da liberdade de expressão”, as suas empresas têm sido repetidamente acusadas pelo governo dos EUA de tentar silenciar os trabalhadores. No ano passado, a SpaceX resolveu uma reclamação de que tentou abafar ilegalmente o discurso de um funcionário. Separadamente, a rede social X de Musk fez um acordo com um ex-funcionário que um diretor regional do NLRB concluiu ter sido demitido ilegalmente por protestar contra um mandato de retorno ao cargo. Os membros do NLRB também decidiram que a fabricante de carros elétricos de Musk, Tesla Inc., demitiu ilegalmente um ativista e que Musk ameaçou trabalhadores nas redes sociais; Tesla está apelando no tribunal federal.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Kate Middleton levou filhos Charlotte e Louis para conhecer bastidores de reality show favorito da Família Real
Justiça da Suíça anula processo que condenou o técnico Cuca por abuso sexual
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde