Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Home Ciência Tá chovendo diamante: joias preciosas caem do céu nestes planetas; entenda o fenômeno

Compartilhe esta notícia:

Imagine um cenário em que os céus não apenas derramam gotas de água, mas também joias preciosas, cintilantes e reluzentes. Agora, imagine que essas joias são diamantes, uma das pedras preciosas mais cobiçadas em todo o mundo.

Parece material de ficção científica, mas, na verdade, existem alguns planetas do nosso Sistema Solar, onde a chuva é composta, literalmente, por diamantes.

Esse fenômeno impressionante ocorre em Urano e Netuno. Nessas regiões profundas, a pressão é tão intensa que o carbono presente, normalmente na forma de metano, pode ser submetido a transformações químicas que resultam na formação de pequenos diamantes.

Durante a maior parte da história da humanidade, esta ideia nem sequer existia na cabeça das pessoas. Mas apenas há relativamente pouco tempo, começaram as teorias e especulações sobre a possibilidade que parecia inacreditável.

Como acontece

O fenômeno da chuva de diamantes em Netuno e Urano ocorre devido a um processo no qual as altas pressões e temperaturas nas camadas internas desses planetas gigantes de gelo e gás podem causar a formação de diamantes que, eventualmente, caem em direção ao núcleo.

À medida que esses diamantes se formam, eles se tornam densos o suficiente para superar as forças de flutuação e começam a afundar em direção às camadas mais internas do planeta.

Cerca de quatro décadas atrás, a ideia de diamantes caindo em planetas gigantes de gelo foi proposta. No entanto, somente em 2017 uma equipe de cientistas alemães e americanos conseguiu confirmar essa teoria.

Usando simulações de computador, os pesquisadores demonstraram que as condições nas camadas internas de Urano e Netuno eram propícias para a formação de diamantes.

Podcast

Esse conceito foi discutido em um podcast da NASA, onde a astrofísica Naomi Rowe-Gurney explicou mais detalhadamente o estado atual dessa concepção teórica.

“Dentro do planeta, quando está muito quente e muito denso, esses diamantes se formam e se acumulam, e depois ficam ainda mais pesados. E isso significa que eles chovem na atmosfera. Mas não é a chuva que vemos aqui porque essas pressões são extremas e você nunca pode chegar lá como humano. Portanto, mesmo que esses diamantes existam, nunca poderíamos ir buscá-los”, explicou a cientista.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Estudo revela presença bactérias em saladas prontas para consumo
Sim, ele tem! Fernanda Lima lista os defeitos do marido Rodrigo Hilbert; veja quais
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde