Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Home Acontece Terapia de flutuação chega a Porto Alegre e promete revolucionar saúde física e mental de praticantes

Compartilhe esta notícia:

A terapia de flutuação, já consolidada em diversas partes do mundo, com mais de 1.500 centros só nos Estados Unidos, agora chegou a Porto Alegre. O primeiro Centro de Flutuação abriu na capital na última semana e tem atraído a atenção de quem busca saúde física aliada à saúde mental.

Localizado numa área nobre da cidade, na Av. Dr. Nilo Peçanha, o local possui um tanque de flutuação importado que promove a terapia alternativa. A pessoa fica durante uma hora em uma cápsula que possui 500 litros de água e 300 quilos de sal de Epsom (o que provoca a flutuação). O paciente pode ficar com a cápsula aberta ou fechada, com ou sem cromoterapia e com ou sem som ambiente. Botões internos dão autonomia para o paciente escolher como se sente mais confortável. 

São inúmeros os resultados comprovados pela ciência. A diminuição do processamento do cérebro ajuda de várias formas tanto o corpo como a mente. Entre os benefícios estão: diminuição dos distúrbios de ansiedade, do estresse, das dores musculares, nas costas e pescoço; aumento do foco, da concentração e da criatividade; melhora no sono (cada uma hora de terapia equivale a quatro horas de sono profundo), além da recuperação muscular, muito importante para esportistas.

Diversos atletas e artistas internacionais já fazem uso dessa terapia. O ex-jogador de futebol americano Tom Brady possui um tanque em casa e declarou que a flutuação ajuda ele a manter o corpo e a mente em sintonia com a necessidade de alta performance. Stephen Curry, um dos maiores arremessadores da NBA de todos os tempos, também faz uso regular da flutuação para melhorar a concentração e a recuperação muscular. Outros famosos, como o jogador de tênis Novak Djokovic, o ator Jeff Bridges, a modelo Elle Macpherson, o jogador da seleção inglesa Wayne Rooney e o comediante e apresentador do UFC Joe Rogan também são defensores da flutuação.

O palestrante e escritor Dado Schneider foi um dos primeiros a ter a experiência em Porto Alegre e diz que a forma como o corpo flutua é uma experiência única. “A gravidade zero faz parecer que estamos no espaço. Realmente é a melhor forma de separar o corpo da mente. Fiquei em outra frequência, como se estivesse no nirvana”, afirma Dado.


O bem-estar

O Brasil contava com apenas três Centros de Flutuação até a abertura do Refloat Therapy, que é o primeiro no Sul do país. No resto do mundo, o negócio teve um crescimento de 526% nos últimos dois anos. Em 2020, o Global Wellness Institute divulgou um relatório que afirma que a indústria do bem-estar mental vale 120 bilhões de dólares, com base na movimentação de clientes e negócios que envolvem a área.

Para um dos sócios do empreendimento, Tiago Dimer, o grande desafio da terapia de flutuação no país é fazer com que as pessoas tenham a cultura de se desligar por uma hora do mundo externo e das preocupações. “Temos que comunicar de forma eficaz o quanto isso traz benefícios se feito de forma regular. Tem muita gente que toma remédio para ansiedade e que poderia estar fazendo outro tipo de terapia, como a flutuação”, ressalta Tiago.

Ele afirma ainda que nos Estados Unidos a terapia já está consolidada porque os benefícios são comprovados cientificamente. “Pesquisamos muito todos os artigos científicos e documentários sobre o tema. Trouxemos o que há de melhor em procedimentos para que as melhoras sejam eficazes. Temos todo um acompanhamento do paciente, inclusive com apoio psicológico caso seja necessário”, completa. 

Os preços de cada sessão variam entre R$ 180 e R$ 220 dependendo do pacote adquirido. Outros serviços como massoterapia, reiki e tratamento psicológico também são oferecidos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Acontece

Mágica e motivação marcam último dia do 7º Congresso de Relações Sindicais e do Trabalho
Garupa apresenta modelo de negócio inédito em Brasília
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde