Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024

Home Mundo Ucrânia reivindica ter recuperado novas áreas invadidas pelos russos e recebe apoio europeu para defesa antiaérea

Compartilhe esta notícia:

A Ucrânia reivindicou, nesta quarta-feira (12), a conquista de várias cidades ocupadas pelos russos no sul do país e comemorou a chegada de um novo sistema de defesa antiaérea depois de sofrer dois dias de intensos bombardeios.

O país recebeu uma chuva de mísseis, foguetes e drones. Segundo o presidente russo, Vladimir Putin, trata-se de uma retaliação ao ataque com explosivos contra a ponte da Crimeia, que liga esta península anexada por Moscou em 2014 ao território russo.

O FSB (serviço de segurança russo) anunciou nesta quarta a prisão de oito pessoas suspeitas de participar da organização desse ataque, que, segundo ele, foi planejado pela inteligência ucraniana.

O FSB também alegou ter frustrado duas tentativas de ataques preparados por Kiev na região de Moscou e em Bryansk, perto da fronteira com a Ucrânia. As autoridades ucranianas não confirmaram ou negaram estar envolvidas na explosão da ponte, mas nunca esconderam sua intenção de recuperar a Crimeia e o restante dos territórios ocupados pela Rússia desde o início da guerra em fevereiro.

De sua parte, Putin prometeu uma resposta “firme” a qualquer novo ataque ao território russo, que Moscou diz incluir a península da Crimeia e quatro outras regiões ucranianas anexadas em setembro.

Reforço antiaéreo

Em uma das regiões ocupadas pelos russos, Kherson, a presidência ucraniana anunciou a recuperação de mais cinco cidades em sua contraofensiva lançada em setembro no sul e leste do país.

“As forças armadas ucranianas libertaram mais cinco cidades no distrito de Berislav da região de Kherson: Novovasylivka, Novogrygorivka, Nova Kamyanka, Tryfonivka, Chervone”, anunciou a presidência, notando, porém, que a artilharia russa resiste.

Desde setembro, as forças ucranianas obtiveram ganhos significativos nas linhas de frente graças a uma contraofensiva que levou Putin a ordenar a mobilização de centenas de milhares de reservistas.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, considerou na terça-feira que seu colega russo “calculou mal” a capacidade de seu exército de conquistar a Ucrânia e a resistência que encontraria.

No plano diplomático, antes de um encontro entre o presidente Putin e seu colega turco, Recep Tayyip Erdogan, na quinta-feira no Cazaquistão, o Kremlin disse nesta quarta que espera que Ancara apresente uma proposta de mediação “oficial”.

“Os turcos propõem mediação. Em caso de negociações, provavelmente elas ocorrerão em seu território: em Istambul ou Ancara”, disse o assessor de política externa do Kremlin, Yuri Ushakov.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Técnico do Grêmio faz testes durante o treino e goleiro Brenno assusta em dividida com jogador
Assembleia-Geral da ONU condena anexação de territórios ucranianos pela Rússia
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde