Domingo, 29 de Maio de 2022

Home Rio Grande do Sul Variante ômicron alcança estágio de transmissão comunitária no Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

A Secretaria de Saúde, por meio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), declarou nesta sexta-feira (7) a transmissão comunitária da variante ômicron do coronavírus. Até este momento, o Rio Grande do Sul já teve a identificação de 255 casos confirmados ou sugestivos para essa linhagem em 34 municípios ou em visitantes testados no Estado.

O conceito de transmissão comunitária ou local é definido quando o contágio entre pessoas ocorre no mesmo território, sem histórico de viagem ou sem que seja possível definir a origem da transmissão.

A variante foi identificada originalmente na África do Sul e é apontada como a responsável pelo súbito aumento de casos em vários países. Esse crescimento também já é percebido no Rio Grande do Sul nas últimas semanas. A declaração alerta para a importância de serem mantidas e reforçadas as medidas de prevenção: completar o esquema vacinal e as doses de reforço, usar máscara e evitar aglomerações.

Entre os casos identificados, 21 foram confirmados por sequenciamento completo, método mais preciso pelo qual é feita a leitura de toda a cadeia genômica do vírus. Os demais 228 são considerados sugestivos, caracterizados pelas amostras que tiveram o diagnóstico pelo exame de RT-PCR que identifica parcialmente a variante ou aqueles casos em que foram confirmados por serem de pessoas com sintomas e que sejam contato desses casos sugestivos.

Aumento na proporção dos casos de ômicron no Lacen

O Laboratório Central do Estado (Lacen/RS) é um dos locais que realiza a testagem para a identificação das linhagens do coronavírus (SARS-CoV-2). No local, foi perceptível um aumento na proporção de ômicron para as demais variantes nos últimos dias.

Em 41 amostras coletadas entre 21 e 31 de dezembro, 80% foram sugestivas para a ômicron (por RT-PCR de inferência). No mesmo número de testes coletados entre 2 e 4 de janeiro, a proporção já passou para 95%.

Além do Lacen/RS, outros laboratórios no Estado já têm capacidade para essa análise sugestiva ou para o sequenciamento completo, como o Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CDCT, que também faz parte do Cevs), a Universidade Feevale, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Hospital Moinhos de Vento.

Todos realizam a testagem dos casos por amostragem, já que por ser um exame mais complexo e com insumos mais específicos, não há capacidade para quem sejam analisadas todas as amostras de pessoas com Covid-19.

Casos de ômicron confirmados e sugestivos no RS (até 7/1)

Campo Bom: 3
Canela: 3
Canoas: 15
Carazinho: 1
Dois Irmãos: 8
Esteio: 7
Estrela: 1
Garibaldi: 3
Gramado: 6
Gravataí: 1
Guaíba: 2
Itaara: 1
Maratá: 1
Montenegro: 1
Novo Hamburgo: 6
Osório: 1
Pelotas: 4
Piratini: 1
Portão: 1
Porto Alegre: 20
Progresso: 1
Santa Cruz do Sul: 1
Santa Maria: 18
Santana do Livramento: 3
Santiago: 1
São Leopoldo: 5
São Sebastião do Caí: 1
Sapiranga: 3
Sapucaia do Sul: 2
Sarandi: 1
Tramandaí: 1
Ubiretama: 1
Venâncio Aires: 1
Viamão: 3
Fora do RS: 15 (viajantes que vieram de outros locais)
UFSM: 111 (ainda é preciso confirmar as cidades de origem dos casos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Dados de Covid lançados em sistemas do SUS após 10 de dezembro estão indisponíveis
Evolução da ômicron provoca mudanças na programação de grandes eventos em todo o Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada