Domingo, 21 de Abril de 2024

Home Saúde Veja como uma dieta focada em alimentos naturais contribui para sua imunidade

Compartilhe esta notícia:

“Saúde para dar e vender” é uma frase bem comum, nesta época em que se deseja um ano novo de vida melhor e mais próspera. Mas boa saúde não vem sozinha. Imunidade, por exemplo, tem relação direta com o que você ingere nas suas refeições. Quem melhora os hábitos alimentares recebe, de volta, maior capacidade de combater doenças totalmente evitáveis. É como criar uma barreira natural contra infecções virais ou bacterianas.

Por onde começar?

Em primeiro lugar, estão a decisão e a determinação em ter mais saúde, segundo a nutricionista Maria José Pinheiro, pois optar por alimentos mais saudáveis requer mudança de comportamento. “Normalmente, temos muitas justificativas para optar pelos alimentos industrializados, processados e ultraprocessados que não nos favorecem. É muito mais vantajoso trocar um suco de caixinha pelo suco natural, por exemplo. Nosso corpo tem capacidade de se defender sozinho, mas precisa de um reforço que vem do consumo de vitaminas, minerais e fitoquímicos, em alimentos naturais ou minimamente processados”, afirma.

O passo seguinte é buscar um atendimento profissional em Nutrição. Isso é fundamental para que você não caia em receitas milagrosas e dietas sem-noção presentes na internet.

Minha rotina é corrida. Como ter uma alimentação melhor?

Maria José reforça que ter uma alimentação saudável, no meio de uma rotina cheia, requer planejamento. “Tudo parte da determinação. Planejar a alimentação é fundamental para pôr em prática a mudança de hábitos alimentares. Se você se organiza cedo, por exemplo, preparando algumas refeições no fim de semana, para congelar e comer durante a semana, ajuda bastante. De um dia para o outro, dá para deixar a massa de cuscuz já hidratada. Em cima da hora, dá pra preparar alimentos mais práticos, como omeletes e crepiocas”, cita Pinheiro.

E fica uma dica importante para garantir sua imunidade: sempre higienize bem os alimentos in natura, pois eles comumente trazem os resíduos de produtos químicos usados no cultivo. Quando não é possível comprar ou plantar alimentos orgânicos, a higienização de frutas, verduras e legumes minimiza a carga de agrotóxicos.

O que eu devo colocar no prato?

Até aqui, você já entendeu que quem vai orientar você será o(a) nutricionista. E vale seguir também o velho ditado que diz que “tudo demais é veneno”, quando o assunto é alimentação balanceada e uma dieta personalizada para cada pessoa. Vamos a algumas fontes de nutrientes e vitaminas para o reforço da imunidade.

Vitamina C: É a mais popular entre as vitaminas, quando o assunto é a prevenção contra gripes e resfriados. Ela não é produzida pelo nosso organismo. Por isso, a importância de ingerir alimentos que sejam fontes de vitamina C, por exemplo, frutas como limão, laranja, tangerina, acerola, caju, morango e tomate (sim, tomate é uma fruta!). Alguns vegetais também entram nesta lista, como o repolho, e hortaliças, como o pimentão.

A vitamina C também tem poder antioxidante, excelente para a pele e as mucosas do corpo.

Vitamina E: Esta estimula o sistema imunológico, além de ter ação anti-inflamatória e melhora a ação dos leucócitos (os nossos glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo contra doenças, resfriados, alergias e infecções). Ótimas fontes de vitamina E são: azeite de olivas, abacate, castanhas, amêndoas, nozes, gérmen de trigo, gema de ovo e grãos.

Zinco: Além das vitaminas, no zinco costuma ser muito lembrado por quem busca mais saúde. Ele trabalha bem junto ao manganês, reduzindo as chances de infecções, acelerando a cicatrização de lesões e prevenindo doenças como o diabetes e alguns tipos de câncer.

O detalhe é que ele não é armazenado pelo nosso corpo e, justamente por isso, os níveis ideais de zinco só podem ser mantidos através da ingestão. Ele está presente em carnes vermelhas, aves, frutos do mar (caranguejo, lagosta e ostras, por exemplo), grãos como feijão e lentilha, sementes, castanhas, no leite e seus derivados. Em caso de dietas vegetarianas ou veganas, também pode ser recomendada a ingestão de zinco por meio de suplementação receitada por profissionais da saúde.

Selênio: Muita gente não conhece, mas o selênio é um mineral com ótimas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e cardioprotetoras, que fortalece o sistema imunológico, além de ajudar na prevenção de doenças como esclerose múltipla, infarto e AVC.

Ele pode ser encontrado em abundância na castanha-do-pará (ou castanha-do-brasil). Mas cuidado: quando ingerida em grande quantidade, essa castanha pode ser tóxica. O recomendado é comer duas unidades por dia.

Carotenoides: Eles são responsáveis pelas cores amarela, laranja e vermelha dos alimentos. Sua ação anti-inflamatória nos ajuda a manter a saúde em dia. Ao consumir vegetais com essas cores na sua dieta diária, além de frutos e vegetais de cor verde escuro, você garante adição de carotenoides. Por exemplo: manga, mamão, tangerina, melancia, goiaba, cenoura, abóbora, damasco, tomate, frutas vermelhas, couve, espinafre, batata-doce e brócolis, além de leite, ovos e salmão.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Jojo Todynho pede medida protetiva contra ex-marido após acusá-lo de agressão psicológica
Fátima Bernardes se diz cansada após um mês de The Voice Brasil
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias