Sexta-feira, 19 de Agosto de 2022

Home Mundo Alemanha tem o primeiro déficit comercial em 30 anos

Compartilhe esta notícia:

Pela primeira vez em mais de três décadas, a Alemanha registrou um déficit comercial mensal, o que é o mais recente sinal de que a maior economia da Europa enfrenta problemas com as cadeias de suprimento e com preços recordes de energia ligados à guerra da Rússia na Ucrânia.

As exportações têm sido o motor econômico na Alemanha há anos, mas o forte aumento no preço da energia, impulsionado pelas medidas da Rússia para restringir a quantidade de gás natural fornecido à Europa, elevou o preço dos produtos fabricados na Alemanha.

As exportações em maio caíram 0,5%, enquanto as importações subiram 2,7%, deixando uma diferença de 1 bilhão de euros, ou cerca de US$ 1 bilhão, segundo dados divulgados pelo Federal Statistics Office nesta segunda-feira (4).

Foi a primeira vez que as importações superaram as exportações desde 1991, um ano após a reunificação da antiga Alemanha Oriental socialista com a Alemanha Ocidental capitalista.

A reversão repentina pode sinalizar fraqueza em partes da economia alemã, onde um em cada quatro empregos depende das exportações. A dependência de energia importada aumentou as pressões de custo sobre as empresas alemãs. Antes do início da guerra, a Rússia fornecia mais da metade do gás natural do país.

“A desaceleração das exportações começou”, disse Volker Treier, chefe de comércio exterior da Associação das Câmaras de Comércio e Indústria Alemãs.

Segundo ele, uma das razões é o aumento do custo das mercadorias alemãs enviadas para o exterior. “Os exportadores são cada vez menos capazes de repassar os aumentos de custos causados ​​pelas cadeias de suprimentos para os clientes internacionais”, disse ele.

Os Estados Unidos continuaram sendo o destino mais importante das exportações de mercadorias alemãs em maio, com as vendas subindo mais de 5% em relação ao mês anterior, para 13,4 bilhões de euros.

Do lado das importações, a China ainda liderou a lista como o país que mais vendeu mercadorias para a Alemanha, no valor de 18 bilhões de euros em maio, uma queda de 1,6% em relação a abril.

A diminuição das mercadorias alemãs vendidas na Rússia está entre as causas da queda nas exportações. Durante anos, a Rússia foi um mercado forte para os fabricantes alemães, mas desde a invasão da Ucrânia em fevereiro a tendência tem sido de queda, pois as empresas pararam de fazer negócios no país.

Em comparação com um ano atrás, as vendas para a Rússia caíram mais de 50%. Economistas estão alertando que a situação econômica geral pode se tornar ainda mais séria se a Rússia decidir cortar completamente suas entregas de gás.

Esse risco aumentou recentemente. Em junho, a Gazprom, gigante da energia russa, reduziu em 60% a quantidade de gás entregue à Alemanha via Nord Stream 1, um gasoduto crítico.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Atleta Brittney Griner implora a Joe Biden para que Estados Unidos ajam contra sua prisão na Rússia
Bolsonaro diz que há excesso em culpar guerra na Ucrânia por problemas no Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde