Segunda-feira, 04 de Julho de 2022

Home Saúde As causas da infecção urinária, como prevenir e tratar

Compartilhe esta notícia:

Uma das infecções mais comuns, principalmente em mulheres, a infecção do trato urinário (ou infecção urinária) é associada à bactéria “Escherichia coli” em cerca de 8 a cada 10 casos, segundo dados da Sociedade Brasileira de Urologia.

Mas as causas por trás desse problema de saúde são diversas, entre elas higiene inadequada, histórico familiar, gestação, infecção hospitalar, atividade sexual e doenças crônicas, como diabetes.

A infecção urinária pode afetar bexiga (quando ganha o nome de cistite), uretra (uretrite) ou rins (pielonefrite).

Entre os sintomas, o principal deles é a urgência urinária (dificuldade de controlar), mas muitos pacientes são assintomáticos.

As mais atingidas são as mulheres: estima-se que mais de 50% delas vão ter ao menos um episódio de infecção do trato urinário ao longo da vida.

Por isso, segundo o Instituto Nacional para Saúde e Cuidados de Excelência, da Inglaterra, elas devem ficar atentas ao histórico familiar, se a mãe costumava apresentar alguma infecção do tipo, e ao próprio histórico de saúde, como episódios dessa infecção na infância.

No Reino Unido, as infecções do trato urinário são a infecção hospitalar mais comum durante a internação ou após alta, representando 23% do total.

No Brasil, essas infecções correspondem a cerca de 35% a 45% das chamadas infecções relacionadas à assistência de saúde, quase sempre associadas ao uso de cateter (equipamento usado em até um quarto dos pacientes que precisam de hospitalização).

Essa infecção pode ser crônica ou aguda, e pode em casos mais raros e extremos até matar se não for tratada de forma adequada e evolua para uma doença renal crônica grave, insuficiência renal ou infecção generalizada, por exemplo.

Osvaldo Merege, presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia, explica que é importante ficar atento em caso de recaída ou reincidência.

Ou seja, se o paciente teve uma infecção que não foi tratada adequadamente (como parar o antibiótico antes da hora) ou se teve duas ou três infecções em um ano. “No segundo caso, é aconselhável fazer uma profilaxia com antibiótico, com dose bem baixa, um quarto do que se prescreve normalmente.”

Segundo estudos, essa profilaxia contínua pode diminuir a recorrência de infecções em até 95%. Mas vale lembrar que o uso errado de antibióticos – seja em excesso, automedicação ou interrupção antes do tempo prescrito – é a causa mais importante na resistência de microrganismos, o que diminui as chances de tratamento e pode agravar o quadro.

Causas

Quando nos alimentamos, os nutrientes dos alimentos viram energia dentro corpo, e os componentes que não viram se tornam resíduos que ficam no intestino e sangue. O sistema urinário e renal ajudam a eliminar a ureia (resíduo líquido) e manter água, potássio e sódio. A ureia chega aos rins pela corrente sanguínea e é eliminada com água e outros resíduos pela urina.

Os tubos estreitos que ligam os rins à bexiga são os ureteres que transportam a urina dos rins para a bexiga. Para isso eles se contraem e relaxam sem parar fazendo a urina descer, fazem isso a cada 1 a 15 segundos, transportando pequenas quantidades de urina. Se ela ficar ali parada ou acabar voltando, pode acontecer uma infecção.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Por que cérebro dos humanos há 3 mil anos era maior que o nosso
Ovnis: as incomuns imagens de “fenômenos aéreos inexplicáveis” mostradas no Congresso dos Estados Unidos
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde