Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

Home Esporte Atletas e políticos lamentam morte da ex-jogadora de vôlei Isabel Salgado

Compartilhe esta notícia:

Atletas e políticos brasileiros se manifestaram nas redes sociais para lamentar a morte de Isabel Salgado, aos 62 anos, na manhã desta quarta-feira (16). A ex-ponteira não resistiu à síndrome aguda respiratória do adulto, condição clínica considerada rara. Isabel chegou a ser internada no Hospital Sírio-Libanês.

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva escreveu no Twitter que o pioneirismo de Isabel “abriu portas para muitas brasileiras”. A ex-atleta foi indicada na última segunda-feira para pasta do esporte da equipe de transição do novo governo. Gleisi Hoffmann, presidente do PT e deputada federal pelo Paraná, também se manifestou nas redes sociais.

Isabel Salgado não foi apenas um símbolo para o esporte, mas também de luta na defesa de seus ideais. Seu pioneirismo no esporte abriu as portas para muitas brasileiras. Suas conquistas levaram o Brasil a outro patamar na história do vôlei feminino.

Em pronunciamento para anunciar novos nomes para o gabinete da transição, o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, também lamentou a morte de Isabel, que chamou de “exemplo para todo o País”.

“Uma notícia triste, perdemos a Isabel Salgado, campeã esportista do vôlei, um exemplo para todo o país. Fazia parte do nosso grupo técnico do esporte, extremamente envolvida e entusiasmada com a transição. Por isso quero transmitir aos seus familiares, amigos e a todo o mundo esportivo nossos sentimentos e as nossas orações com muito carinho pela Isabel”, disse Alckmin.

O governador do Rio, Cláudio Castro, escreveu que o “esporte brasileiro amanheceu de luto” pela perda de Isabel, “que ficou conhecida pela força e liderança”.

Já o prefeito na cidade do Rio, Eduardo Paes, compartilhou uma imagem do dia em que a ex-atleta conduziu a tocha olímpica durante os Jogos do Rio, em 2016. Chamando-a de “uma das cariocas mais importes do mundo do esporte”, ele afirmou que Isabel orgulhou o País ao “defender e honrar a camisa do Brasil nas quadras”.

O perfil oficial do Flamengo, clube onde a ex-atleta foi revelada e se tornou bicampeã nacional em 1978 e 1980, afirmou que ela “será sempre lembrada”.

O Comitê Olímpico Brasileiro também lamentou a morte de Isabel, “craque dentro e fora das quadras”. O perfil do COB compartilhou imagens da ex-atleta defendendo a camisa da Seleção Brasileira Feminina de vôlei.

Já a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) divulgou uma nota de pesar sobre a partida da ex-atleta. A entidade lembrou o currículo de Isabel – que defendeu a seleção brasileira feminina em duas edições dos Jogos Olímpicos – Moscou (1980), e Los Angeles (1984) e na praia venceu etapas do Circuito Mundial e do Circuito Brasileiro, além de técnica que levou o Vasco ao vice-campeonato da Superliga 2000/2001.

“Isabel foi exemplo e inspiração para gerações de jogadores ao longo das últimas décadas. Foi uma jogadora extraordinária e contribuiu de maneira ímpar para o desenvolvimento do voleibol feminino. Será para sempre uma referência do nosso esporte. Prestamos nossa solidariedade a todos os familiares e amigos de Isabel, em especial a seus filhos Pedro e Carolina. Neste fim de semana, eles disputariam a etapa final do Circuito Brasileiro, evento no qual a CBV fará uma série de homenagens a Isabel”, disse Radamés Lattari, vice-presidente da CBV.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Republicanos conquistam maioria das cadeiras na Câmara dos Estados Unidos
Comitiva gaúcha encerra participação na COP27 com reforço no compromisso de zerar emissões de gases do efeito-estufa até 2050
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada