Sexta-feira, 12 de Julho de 2024

Home em foco Bolsonaro critica Lula por dizer que os Estados Unidos incentivam a guerra entre Rússia e Ucrânia

Compartilhe esta notícia:

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou o presidente Lula (PT) por cobrar dos Estados Unidos o fim da guerra entre Rússia e Ucrânia, que já dura mais de um ano.

Bolsonaro rebateu as críticas de Lula aos EUA, que, segundo o petista, “incentivam” a guerra entre Rússia e Ucrânia. Declarações foram feitas em Pequim, onde Lula esteve nos últimos dias.

“Vexame para a política externa”, disse Bolsonaro. Ele também mencionou a atual diretora do Banco dos Brics, Dilma Rousseff, e João Pedro Stédile, líder do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), que acompanhou Lula na China.

“Da China, o cara acusa os EUA de incentivar a guerra. Diz também que o conflito, no momento, só está interessando a [Vladimir] Putin e a [Volodymyr] Zelensky. Lula, Dilma e Stédile, juntos, mais um vexame para a política externa brasileira”, disse no Twitter.

Bolsonaro esteve com presidente russo antes da guerra. O ex-presidente se encontrou com Vladimir Putin menos de uma semana antes de a guerra na Ucrânia começar, em fevereiro de 2022.

Na ocasião, Bolsonaro disse ser “solidário” à Rússia. A fala soou mal, uma vez que já existia a ameaça de invasão da Ucrânia pela Rússia. Depois, em comunicado, explicou ser solidário “a todos os países que querem e se empenham pela paz”.

E encontro foi visto de forma negativa pelos EUA. Naquele momento, o mundo vivia uma das maiores crises de segurança desde o fim da Guerra Fria. Especialistas também criticaram a visita de Bolsonaro à Rússia, dizendo que o timing foi “muito ruim”.

Clima

Bolsonaro não tem boa relação com Joe Biden. Embora tenha criticado as falas de Lula sobre os EUA, o ex-presidente brasileiro já teve uma série de divergências com o americano.

Primeiro “climão” veio depois da eleição de Biden, em 2020. Após o democrata derrotar Donald Trump, Bolsonaro levou 38 dias para parabenizá-lo, sendo o último líder do G-20 a cumprimentar o novo presidente. Apenas Kim Jon-Un, ditador da Coreia do Norte, demorou mais.

Bolsonaro também disse, sem provas, que houve “fraude” na eleição de Biden. Segundo reportagem da Reuters, o diretor da CIA (agência de inteligência dos EUA) chegou a dizer a funcionários brasileiros que Bolsonaro deveria parar de questionar o sistema de votação americano.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Ministra do Planejamento garante aumento do salário mínimo acima da inflação em 2024
Michelle Bolsonaro dá explicação sobre o sumiço de móveis do Palácio do Alvorada e critica gastos de Lula
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde