Segunda-feira, 22 de Abril de 2024

Home Economia Brasil “exporta” o Pix para Colômbia e Canadá. Estados Unidos terão sistema próprio

Compartilhe esta notícia:

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) inicia neste mês de setembro os testes do seu sistema de pagamentos instantâneos, o FedNow. Espécie de versão americana do Pix, ele promete revolucionar a forma como se envia e recebe dinheiro na maior economia do mundo.

Enquanto isso, no Brasil, o Pix “original” está próximo de bater a marca recorde de R$ 1 trilhão em transações realizadas em um único mês. Além disso, caminha para replicar sua experiência em outros países, como Colômbia e Canadá.

FedNow

A expectativa do Fed é de lançar seu sistema nos Estados Unidos entre maio e julho de 2023. Nesta sua reta final de desenvolvimento, o projeto-piloto “FedNow” vai iniciar a fase de testes técnicos, com a participação de mais de 120 instituições. Em paralelo, o Fed já começa a envolver outras instituições interessadas na nova solução, mas que ficaram de fora do projeto-piloto.

A promessa do BC americano é de que o FedNow esteja disponível a instituições financeiras de todos os tamanhos nos EUA. E, assim, conecte empresas e famílias americanas, facilitando os pagamentos em uma economia onde o cheque – que no Brasil praticamente desapareceu do dia a dia – ainda é presença frequente. “Juntamente com os nossos parceiros, estaremos prontos para lançar o FedNow entre maio e julho de 2023″, afirmou a vice-presidente do Fed, Lael Brainard, em evento recente sobre pagamentos instantâneos.

Disponibilidade imediata

Segundo ela, o FedNow deve transformar a forma como os pagamentos são feitos na maior economia do mundo, propiciando “ganhos substanciais” para famílias e empresas por meio de transferências de dinheiro instantâneas. Tal como o Pix, a nova ferramenta vai funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana.

“A disponibilidade imediata de dinheiro pode ser especialmente importante para famílias que administram suas finanças de salário em salário ou pequenas empresas com restrições de fluxo de caixa”, disse Lael.

A autoridade monetária dos EUA ainda não revelou as expectativas para o FedNow. Segundo Lael, o número de empresas e famílias americanas que vão usar o “Pix americano” vai depender da quantidade de provedores de serviços financeiros que aderirem à nova infraestrutura de pagamentos da autarquia.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Saiba como renegociar dívidas do Fies; desconto chega a 99% em pagamento à vista
Brasil tem deflação pelo segundo mês, mas mercado ainda vê espaço para nova alta de juro
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada