Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2024

Home em foco “Carrasco” da Seleção Brasileira em 1998 prevê dificuldades para a Inglaterra na Copa

Compartilhe esta notícia:

Autor de um dos gols da França na final da Copa do Mundo de 1998 contra o Brasil, o ex-volante Emmanuel Petit comentou que a seleção da Inglaterra deve ter dificuldades no Mundial do Catar, por conta de problemas defensivos.

Em entrevista ao periódico britânico “Mirror”, Petit comparou a Inglaterra com a França, no que diz respeito a desfalques e desorganização no setor defensivo. Além disso, o francês afirma que a Seleção Brasileira é a grande favorita à conquista da Copa do Mundo no Catar.

“A Inglaterra é como a França. Tem jogadores de qualidade, um bom time e competitivo. Mas tem muitos jogadores de defesa lesionados. Ninguém sabe como será o setor defensivo da Inglaterra. Maguire? Quem será o lateral-direito? Southgate jogará com uma linha de três ou de quatro? Não temos respostas”, declarou Petit.

No Grupo B ao lado de País de Gales, Estados Unidos e Irã, a Inglaterra é a primeira das seleções campeãs do mundo a estrear na Copa do Mundo. O adversário, nesta segunda-feira (21), é o Irã, às 10h (de Brasília), no estádio Khalifa, na capital Doha.

A equipe, que vinha tendo boas performances em torneios importantes, chega ao Mundial com uma sequência de seis jogos sem vitória.

A série negativa (três empates e três derrotas), sempre em partidas da Liga das Nações, resultou no rebaixamento do English Team no torneio continental.

A última vez que a Inglaterra ficou seis jogos consecutivos sem ganhar foi há quase 30 anos, em 1993, com três empates e três derrotas. Um dos empates (1 a 1) ocorreu contra o Brasil de Carlos Alberto Parreira, que faturaria o tetra em 1994.

O cenário atual é inesperado para uma seleção que vinha fazendo bonito na gestão Southgate, com a semifinal na Copa de 2018, na Rússia (acabaria em quarto lugar), e o vice-campeonato na Eurocopa 2020 (disputada em 2021 devido à pandemia de coronavírus), perdendo nos pênaltis para a Itália, em Londres.

A Euro foi a melhor oportunidade que a seleção inglesa teve de derrubar o jejum de títulos que perdura desde o Mundial de 1966, quando superou a Alemanha na final, em casa.

Para encerrar a má fase, a Inglaterra aposta nos gols do centroavante Harry Kane, 29. O jogador do Tottenham foi o artilheiro da Copa de 2018, com seis gols (três deles de pênalti). Atualmente, é vice artilheiro da Premier League, com 12 gols.

Os torcedores ingleses também depositam esperança nas atuações de Jude Bellingham, 19. O volante do Borussia Dortmund, que defende e ataca com eficiência, é um dos candidatos a melhor jogador jovem do Mundial.

Além da Inglaterra, dos países que já ganharam a Copa, seis estão no torneio deste ano: Brasil, Argentina, Alemanha, Espanha, França e Uruguai. A Itália não se classificou.

Já o Irã, um dos azarões desta Copa, estará satisfeito com um empate diante dos ingleses.

Comandada pelo técnico português Carlos Queiroz, os iranianos podem começar a partida com: Beiranvand, Jahanbakhsj, Moharrami, Pouraliganji, Khalizadeh, Hasiafi, Taremi, Ezatolah, Amiri, Nourallahi e Azmoun.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Em nome de Lula, Alckmin parabeniza Ilan Goldfajn e fala em disposição de estreitar laços com o BID
Polícia Federal mantém a emissão de passaportes de emergência
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde