Terça-feira, 28 de Maio de 2024

Home em foco Eduardo Cunha da Costa continuará como procurador-geral do Estado no próximo governo gaúcho

Compartilhe esta notícia:

O governador eleito Eduardo Leite anunciou a permanência de seu xará Eduardo Cunha da Costa à frente da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) a partir de janeiro, quando entrará em cena a nova gestão do Executivo gaúcho. Trata-se do segundo integrante de primeiro escalão a ter seu nome oficializado – o outro é Artur Lemos Júnior, que continuará na chefia da Casa Civil.

A PGE tem como principais atribuições representar os interesses jurídicos do governo do Rio Grande do Sul e prestar assessoria ao Executivo em questões desse tipo.

Bacharel em Direito e com título de doutorado na área, Cunha da Costa tem 42 anos. Ele comanda desde 2019 o órgão, onde ingressou em 2007 e atuou nas cidades de Santana do Livramento (Fronteira-Oeste), Caxias do Sul (Serra Gaúcha), Novo Hamburgo (Vale do Sinos) e Porto Alegre. Ele também preside atualmente o Colégio Nacional de Procuradores-Gerais dos Estados (Conpeg).

“Com muita eficiência, ele tem garantido não apenas a legalidade de todos os nossos atos administrativos, em perfeita sinergia com as demais secretarias, bem como a representação judicial do Rio Grande do Sul em grandes pautas nas quais interagimos com as Cortes superiores”, elogiou Leite.

Ao posar para fotos ao lado do antigo e futuro chefe do Executivo gaúcho, o titular da PGE retribuiu: “É uma honra continuar trabalhando em sua gestão, trazendo a Procuradoria cada para cada vez mais perto dos resultados e políticas públicas do governo”.

Próximos nomes

Nos próximos dias, a tendência é de que sejam progressivamente revelados os demais membros da equipe. A futura estrutura administrativa abrangerá 27 secretarias estaduais. São duas a mais que a do atual mandatário do Palácio Piratini, Ranolfo Vieira Júnior, que assumiu o cargo no final de março, após a renúncia de Leite.

Cerimônia de posse

Eduardo Leite (PSDB) e o seu vice eleito Gabriel Souza (MDB) assumirão oficialmente o cargo na manhã de 1º de janeiro. Ambos serão empossados em cerimônia marcada para as 10h na Assembleia Legislativa, depois atravessam a rua Duque de Caxias até o Palácio Piratini para a transmissão do cargo pelo atual governador, Ranolfo Vieira Júnior, às 11h.

O político tucano derrotou Onyx Lorenzoni (PL) no segundo turno das eleições, realizado no dia 30 de outubro. O tucano obteve 3.687.126 votos (57,12%), contra 2.767.786 (42,88%) do adversário.

Ele havia renunciado ao mandato no dia 31 de março, diante da possibilidade de concorrer à Presidência da República, pleno que acabou não se concretizando. Com a renúncia, o então vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior, passou a comandar o Executivo.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Em entrevista, futuro ministro da Fazenda dá sinal de responsabilidade fiscal
Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul alerta a população para o “golpe do falso leilão”
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde