Segunda-feira, 16 de Maio de 2022

Home Tecnologia Em breve, iPhone pode se transformar em “maquininha” com pagamentos por aproximação

Compartilhe esta notícia:

O iPhone pode em breve se tornar uma “maquininha” de cartão. De acordo com a agência de notícias Bloomberg, a Apple permitirá que pequenas empresas usem o celular para computar pagamentos com aproximação, sem a necessidade de outros hardwares. A expectativa é de que o novo recurso seja lançado em uma atualização do software iOS nos próximos meses.

A ferramenta é esperada desde 2020, quando a fabricante de Cupertino comprou a startup canadense Mobeewave, especializada em terminais de pagamento sem contato. Antes da aquisição pela Apple, a empresa trabalhava com a Samsung em funcionalidades semelhantes.

Para funcionar, a tecnologia da Mobeewave precisa apenas de um aplicativo e do NFC (comunicação por proximidade, na sigla em inglês) do celular – o vendedor precisa digitar o valor que deseja cobrar, e o cliente aproxima o cartão na parte de trás do dispositivo.

A Apple não respondeu a pedidos de comentário. Não está claro se o recurso será lançado como parte do Apple Pay, função que permite realizar pagamentos por aproximação encostando o iPhone ou Apple Watch em maquininha. No Brasil, o Apple Pay está disponível desde 2018, quando bancos tradicionais e fintechs começaram a aderir à solução.

Óculos virtual

Prestes a entrar no mercado de realidade virtual e aumentada com um dispositivo próprio, a Apple deve adicionar os chips dos novos MacBooks Pro, o M1 Pro, ao aparelho, turbinando a capacidade de processamento gráfica. As informações são da agência americana de notícias Bloomberg, que afirma ter falado com fontes familiarizadas com o desenvolvimento do produto.

O aparelho, que pode ser um capacete ou uns óculos, teria duas telas de resolução 8K, qualidade de áudio de ponta, uma ventoinha para resfriamento e uma loja própria de aplicativos. O dispositivo teria três principais usos: jogos, vídeos e comunicações, levando as conversas para o patamar de um “novo Zoom”, diz a Bloomberg.

A agência afirma que essas características elevariam o preço dos óculos, que devem sair por volta de US$ 2 mil. A cifra eforça o que vêm dizendo analistas do mercado desde o ano passado. A título de comparação, é o mesmo preço do novo MacBook Pro de 14 polegadas, com o chip M1 Pro, enquanto o iPhone mais caro é vendido por US$ 1,6 mil na loja da Apple.

Ainda sem nome cravado, diz a Bloomberg, o aparelho pode se chamar Apple Vision, devido ao aspecto futurístico que a marca oferece. Também estão em cogitação os nomes Apple Reality, Apple Sight (ou iSight), Apple Lens ou, mais improvável, Apple Goggles.

Não data de lançamento prevista para o dispositivo. Segundo a Bloomberg, atrasos na produção e problemas de última hora podem adiar o lançamento para 2023. Até então, a expectativa era que o produto fosse revelado na conferência dos desenvolvedores da empresa, a WWDC, em junho de 2022.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Portugal vira destino de brasileiros em fuga da crise
Como vulcões ativos colocaram uma ilha do Havaí no radar do turismo mundial
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde