Sexta-feira, 19 de Agosto de 2022

Home Política Em comissão da Câmara dos Deputados, artistas voltam a defender derrubada de vetos de Bolsonaro à cultura

Compartilhe esta notícia:

Atores e produtores culturais voltaram a pedir, em audiência pública na Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, nesta segunda-feira (4), que o Congresso Nacional rejeite os vetos do presidente Jair Bolsonaro (PL) a dois projetos que estabelecem assistência financeira ao setor cultural.

Esta é a terceira vez que a Comissão de Cultura recebe representantes do setor para debater a derrubada dos vetos dos textos conhecidos como Lei Paulo Gustavo e nova Lei Aldir Blanc.

Os projetos foram aprovados pela Câmara dos Deputados e pelo Senado em março deste ano e enviados à sanção de Bolsonaro, que decidiu vetar integralmente as propostas. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), convocou sessão conjunta do Congresso para a análise de vetos nesta terça-feira (5).

“Estamos aqui hoje para defender a cultura, a arte, os artistas e os profissionais da indústria cultural. Estamos aqui pelo reconhecimento de que, sem o compromisso político com o direito à cultura e à arte, o nosso País e o nosso povo estão em risco. Esperamos que as senhoras e senhores representantes do povo brasileira nesta Casa, cientes disso, façam a sua parte”, afirmou a atriz Vera Fischer.

Segundo a autora da nova Lei Aldir Blanc e coordenadora da audiência, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), Pacheco se comprometeu, nesta segunda, a não adiar mais uma vez a sessão do Congresso destinada aos vetos. No entanto, ainda não está fechado um acordo.

“Fizemos o acordo de votar amanhã e também o compromisso do acordo da derrubada dos dois vetos. Esse acordo está em construção. A gente sabe que ainda não está fechado. Pela informação que a gente tem do líder [do governo no Congresso] Eduardo Gomes (PL-TO), ele está, neste momento, numa reunião no Palácio do Planalto com ministros e técnicos tentando buscar este acordo”, disse Jandira.

Projetos vetados

Batizada em homenagem ao ator Paulo Gustavo, vítima da covid, a Lei Paulo Gustavo, aprovada em março, prevê o repasse de R$ 3,86 bilhões em recursos federais a estados e municípios para reduzir os impactos da pandemia da covid no setor cultural.

Do total, R$ 2,79 bilhões seriam destinados a ações no setor audiovisual. Outros R$ 1,06 bilhão, para ações emergenciais no setor cultural.

A nova Lei Aldir Blanc, também aprovada em março, estabelece um repasse anual de R$ 3 bilhões aos governos estaduais e municipais, durante cinco anos, para o financiamento de iniciativas culturais.

Esta é a segunda lei de auxílio ao setor cultural a receber o nome do músico Aldir Blanc, que morreu em 2020 por complicações do coronavírus. A primeira lei, aprovada em 2020, destinou R$ 3 bilhões emergenciais a iniciativas de cultura, em um momento no qual as restrições de circulação impediam a maioria das exibições e espetáculos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Sobrevivente do Holocausto de 100 anos recebe prêmio em Berlim
Atleta Brittney Griner implora a Joe Biden para que Estados Unidos ajam contra sua prisão na Rússia
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde