Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

Home Saúde Estudo ponta que posição durante o sono interfere na saúde do cérebro

Compartilhe esta notícia:

A posição na qual se adormece influencia diretamente na qualidade do sono. Mas afinal, qual é a opção mais indicada para tirar melhor proveito do tempo de descanso? De acordo com pesquisadores da Stony Brook University, nos Estados Unidos, dormir na posição lateral, em comparação a dormir de costas ou de bruços, ativa o sistema linfático e pode ajudar a remover “resíduos cerebrais” de forma mais eficaz.

O estudo, publicado no Journal of Neuroscience, analisou as vias do sistema glinfático (responsável de eliminação de resíduos no sistema nervoso central) de modelos de roedores para avaliar como a postura corporal afeta o descarte do que é considerado desnecessário pelo cérebro durante o sono.

A equipe aponta que o acúmulo destes resíduos, os quais incluem proteínas β amiloide (amiloide) e tau, pode contribuir para o desenvolvimento da doença de Alzheimer e outras condições neurológicas.

“A análise nos mostrou consistentemente que o transporte glinfático foi mais eficiente na posição lateral quando comparado às posições supina [para cima] ou prona [para baixo]”, constata a pesquisadora Helene Benveniste, em comunicado.

Eles utilizaram técnicas que permitiram validar os dados de ressonância magnética e avaliar a influência da postura corporal no processo de exterminar os “restos”. Com isso, dentre as três posições mais comuns, a lateral mostrou os melhores resultados.

“O estudo, portanto, acrescenta mais suporte ao conceito de que o sono serve a uma função biológica distinta do sono e que é ‘limpar’ a bagunça que se acumula enquanto estamos acordados. Muitos tipos de demência estão ligados a distúrbios do sono, incluindo dificuldades para adormecer. É cada vez mais reconhecido que esses distúrbios do sono podem acelerar a perda de memória na doença de Alzheimer. Nossa descoberta traz novos insights sobre este tópico ao mostrar que também é importante em que posição você dorme”, acrescenta Benveniste.

Segundo um estudo publicado na revista Nature Neuroscience, o sono tem a função de reiniciar o “sistema operativo” do cérebro, devolvendo-o a um estado ideal para otimizar o pensamento e o processamento, se pensarmos no cérebro como um computador biológico cujos recursos são esgotados durante a vigília (como se chama o período que o ser humano passa acordado).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Após faturar R$ 5 milhões com nova linha de maquiagem, Bianca Andrade, a Boca Rosa, é alvo de queixas, e clientes pedem dinheiro de volta
A eutanásia é permitida em sete países do mundo; veja quais e como é o procedimento
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa