Quarta-feira, 19 de Junho de 2024

Home Variedades Flacidez após lipoaspiração: saiba as causas e como tratar

Compartilhe esta notícia:

A flacidez é uma complicação que pode ocorrer após a realização da lipoaspiração, procedimento cirúrgico estético que tem como objetivo eliminar o excesso de gordura localizada.

Segundo o cirurgião plástico Josué Montedonio, a flacidez após a lipoaspiração ocorre devido à perda do suporte proporcionado pela gordura que anteriormente preenchia a pele, deixando-a carente de colágeno.

“Caso seja retirada uma grande quantidade de gordura de uma área, pode ser que aquela região ‘perca’ o preenchimento e possa apresentar algum grau de flacidez de pele no futuro”, explica o membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Dessa forma, além de pacientes que tiveram grandes quantidades de gordura aspirada, quem possui menos colágeno, ou estrias, é tabagistas ou passa muito tempo exposto ao sol – perdendo mais fibra e colágeno -, têm a tendência de ficar flácido por ter uma qualidade de pele inferior.

“Quando o paciente é mais jovem, ele tem mais colágeno e mais elastina, então, a pele acaba retraindo. Mas, quando o paciente é mais velho ou quando já tem uma ruptura ou uma perda das fibras elásticas, pode ser que haja uma flacidez de pele residual”, complementa.

Tipos de tratamento

A flacidez é um aspecto que pode causar desconforto, por isso existem medidas e procedimentos que auxiliam para diminuir ou solucionar de vez esse problema, ressalta o especialista.

De acordo com o cirurgião plástico, quando existe muita pele sobrando, é necessário uma cirurgia para remoção da pele flácida. No entanto, quando não há flacidez em excesso, uma das possibilidades é utilizar aparelhos para retração da pele.

Entre esses aparelhos estão o BodyTite e o Morpheus. O BodyTite utiliza uma radiofrequência bipolar que estimula a retração da pele. Já o Morpheus é um aparelho de radiofrequência com microagulhas revestidas de ouro que melhora a qualidade da pele. Além destes, existem outros aparelhos que auxiliam no tratamento da flacidez após lipoaspiração.

“O Renuvion usa uma radiofrequência com jato de plasma, assim como o Argoplasma que tem a mesma finalidade de estimular a retração de pele. Os aparelhos ultrassons como o Ultraformer e o Liftera têm um resultado um pouco mais pontual, mas ajudam no combate à flacidez. Em alguns casos, pode existir a aplicação de bioestimuladores de colágeno como o Sculptra e Radiesse”, explica Josué.

Como evitar a flacidez após a lipo?

Para evitar a flacidez após a lipoaspiração, o cirurgião plástico orienta seguir as recomendações médicas como hidratar a pele, usar cintas de compressão, cintas cirúrgicas, ou canaletas, caso sejam indicadas.

“É essencial fazer o procedimento com um profissional especialista experiente na técnica, em um centro cirúrgico com anestesia e toda a segurança. Em um exame clínico, o especialista deverá identificar se a lipoaspiração é realmente indicada para o paciente. Assim não haverá risco de alguém com muita flacidez de pele fazer a lipoaspiração e ter uma piora do quadro de flacidez”, finaliza.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Disfunções na tireoide podem prejudicar fertilidade feminina
“Cobras são mamíferos” e “gatos na lua”: Google é criticado após erros em respostas geradas pela Inteligência Artificial
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias