Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2022

Home em foco Fórum Econômico Mundial é adiado por “incerteza” causada pela variante ômicron

Compartilhe esta notícia:

A organização do Fórum Econômico Mundial adiou a reunião anual que seria realizada em janeiro em Davos, na Suíça. A decisão foi tomada por conta do aumento recente de casos da covid-19 na Suíça e em diversos países, impulsionados pela variante ômicron do coronavírus.

O encontro seria realizado entre os dias 17 a 21 do próximo mês. Em comunicado, o Fórum informou, porém, que “a incerteza contínua” sobre a nova cepa forçou a mudança.

A previsão é de que a reunião seja realizada no meio do ano, início do verão no Hemisfério Norte.

“Apesar dos rígidos protocolos sanitários da reunião, a transmissibilidade da ômicron e seu impacto nas viagens e na mobilidade exigiram o adiamento”, diz a nota.

Esta é a segunda vez que o evento é adiado por conta da pandemia. A última reunião presencial foi realizada em 2020, quando o mundo começava a acompanhar os primeiros efeitos da covid-19.

Nesta segunda-feira (20), o governo suíço reforçou restrições para conter infecções. Autoridades retomaram a exigência de trabalho remoto e proibiram o acesso de pessoas não vacinados a diversos espaços públicos.

Com cerca de 8,5 milhões de habitantes, a Suíça relatou quase 160 mil novos casos de covid-19 em dezembro.

O governo convocou as Forças Armadas para atuar no atendimento hospitalar, no transporte de vacinas e na imunização da população.

Reações à ômicron

Devido à proliferação da nova cepa, vários países já voltaram a adotar restrições de viagens e outras medidas, principalmente na Europa:

— A Holanda iniciou no domingo (19) um lockdown de três semanas;

— Paris cancelou sua festa de réveillon;

— O prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmou que novas restrições serão inevitáveis;

— Israel anunciou que vai proibir viagens de e para os EUA, o Canadá, a Alemanha, a Itália e mais 6 países.

Os primeiros estudos indicam que a ômicron é mais transmissível do que outras variantes, mas ainda não se sabe se ela causa uma forma mais grave de covid-19. Ela também parece ter uma preocupante resistência às vacinas.

Países

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a variante ômicron já está presente em quase 90 países e que se espalha mais rápido que a delta: o número casos está dobrando no intervalo de apenas 1,5 a três dias.

A variante está se espalhando rapidamente também em países com altos níveis de imunização entre a população. Mas, segundo a OMS, ainda não está claro se isso se deve à capacidade do vírus de escapar da imunidade, a seu inerente aumento de transmissibilidade ou uma combinação de ambos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Supremo estende até 5 de janeiro prazo para o governo se manifestar sobre a vacinação de crianças
Roberto Jefferson diz, em carta escrita na prisão, que pretende disputar o Senado em 2022
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News