Terça-feira, 17 de Maio de 2022

Home Política Governo Central registra déficit de 35 bilhões de reais em 2021, o menor em 7 anos

Compartilhe esta notícia:

As contas do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) registraram déficit primário de R$ 35,073 bilhões em 2021. O valor é o menor desde 2014 e bem menor que o rombo de R$ 743 bilhões no ano anterior, consequência dos gastos emergenciais com a pandemia de Covid-19. Os dados foram divulgados pela STN (Secretaria do Tesouro Nacional) nesta sexta-feira (28).

“Tivemos coragem de fazer em tempos de guerra o que não faríamos em tempos de paz, que foi o controle das contas. Uma base importante foi o controle da despesa total do Governo Central. O Brasil conseguiu um desempenho extraordinário como nós esperávamos. Esperávamos um bom resultado fiscal e lutamos muito por isso”, disse o ministro da Economia, Paulo Guedes.

“O déficit de 2021 mostra uma extraordinária recuperação, caindo de 10% para menos de 0,5% do PIB [Produto Interno Bruto]. Isso não aconteceu antes e não acontecerá de novo na história, porque essa geração teve a coragem de fazer o sacrifício e travar as despesas para que não faltassem recursos e se comprometesse as futuras gerações”, reforçou.

O déficit acontece quando as receitas do governo não foram suficientes para cobrir as despesas públicas do período. Desde maio de 2021, a arrecadação federal tem registrado recordes mensais, no entanto, não foi suficiente para que as contas públicas encerrassem o ano no positivo.

Ainda assim, o resultado ficou dentro da meta fiscal de R$ 247,118 bilhões, determinada pela Lei Orçamentária Anual do ano passado.

Inflação e arrecadação ajudaram

O déficit menor reflete a alta da arrecadação recorde causada pela melhora da economia e pela inflação, que fechou em 10,06% no ano passado. “Muito se falou que foi a inflação [que melhorou o resultado das contas], mas se a inflação fosse solução porque aumenta a receita, porque quando fomos a 5 mil % ou 2 mil % de inflação, não tivemos aumento de arrecadação resolvendo o problema das finanças públicas? Obviamente, é uma falácia usada por economistas mal preparados dizendo que a inflação que resolveu. O que resolve é controle das despesas”, salientou o ministro.

Além disso, o governo federal reverteu uma série de medidas tomadas durante 2020, que reduziu os gastos em 2021. O auxílio emergencial, por exemplo, ficou menor (de R$ 600 para uma média de R$ 250) e passou a atender menos pessoas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Dmae programa serviços nas zonas Sul e Leste de Porto Alegre
BR-116 será parcialmente bloqueada em Canoas para troca de luminárias neste final de semana
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde