Terça-feira, 17 de Maio de 2022

Home Cláudio Humberto Janela partidária se abre para debandada geral

Compartilhe esta notícia:

A janela partidária que se abre nesta quinta-feira (3) permitirá a políticos com mandato trocarem de legenda sem o risco de serem punidos com a cassação de mandato. Espera-se grande debandada de parlamentares que se sentem desconfortáveis nos atuais partidos. A tendência é que partidos maiores, como o recém-criado União Brasil, ele próprio uma federação de interesses, sofram defecção mais expressiva de filiados. A janela partidária deve perdurar por 30 dias, encerrando-se em 1º de abril.

PL deve crescer

A expectativa é que ao menos trinta deputados do União Brasil, leais a Jair Bolsonaro, filiem-se ao PL do presidente.

Só pensam naquilo

Os “passes” de deputados federais são os mais disputados. Mais deputados significam um valor maior dos pornográficos fundos Eleitoral e Partidário.

Mais ao centro

DEM (atual União), PP e PSD foram os partidos que mais ganharam prefeituras nas eleições municipais de 2020. Devem ganhar filiados.

Puxadinhos encolhem

Partidos “ideológicos” à esquerda não devem registrar alterações, exceto pela filiação ao PT de alguns tipos do Psol, Rede, PSB e PDT.

Posição brasileira na ONU desnorteia opositores

A tentativa eleitoral de confundir os presidentes da Rússia e do Brasil esbarra na posição brasileira nas Nações Unidas, na assembleia-geral ou no conselho de segurança. O discurso de ontem do chefe da missão do Brasil na ONU, embaixador Ronaldo Costa Filho, arrancou elogios de quem entende do assunto e deixou no “ora e veja” quem torcia por uma titubeada do governo de Jair Bolsonaro, que falou em “neutralidade”, quando o termo correto foi explicitado no discurso da ONU: “equidistância”.

Posição histórica

Mesmo equidistante dos conflitos, o Brasil condenou na ONU a invasão russa, pedindo respeito à soberania da Ucrânia e à solução negociada.

Trevisan gostou

O professor Leonardo Trevisan, professor de Relações Internacionais da PUC-SP, foi um dos especialistas que elogiaram o discurso brasileiro.

Posição adequada

“Não precisa dizer mais nada”, disse Trevisan, ao citar referências do embaixador Ronaldo Costa Filho à posição brasileira de “equidistância”.

Notícias do front

O repórter da Band no front, Yan Boechat, experiente na cobertura de conflitos internacionais, observou ontem que os russos, até agora, estão nitidamente tentando evitar alvos civis e a destruição da infraestrutura.

Vai que é tua

O STF deu mais uma força à candidatura do ex-corrupto Lula suspendendo outro processo de ladroagem, no caso em que é acusado de receber propina na compra dos caças suecos Gripen.

É guerra, Mamãe

O deputado Arthur do Val Mamãe Falei explicou nas redes sociais que foi à Ucrânia ver “o maior evento político da minha geração”. Como se tivesse ido dar um rolé no Lollapalooza e descobriu estar numa guerra.

Lorota de candidato

Sérgio Moro diz que nunca prendeu quem não merecia. Não é verdade. Houve casos como o do publicitário que prendeu por 90 dias, na ação contra o ex-presidente do BB Aldemir Bendine. Após intensa aflição e humilhações, o publicitário foi declarado inocente. O MPF nem recorreu.

Contra redução de impostos

Pagadores de impostos veem intrigados políticos de oposição queixando-se da redução de carga tributária alegando “perda de receitas”, apesar da arrecadação recorde. Eles temem é perda de votos para governistas.

Saindo do PSB

O deputado Luiz Claudio Romanelli, do Paraná, deixará o PSB caso a legenda se una em federação ao PT. Deputados estaduais do PSB de todo o País rejeitam a federação com petistas, até por razões regionais.

Efeito do pânico

A volta às aulas já mostra os graves transtornos psicológicos causados pela clausura e exposição ao terror midiático em crianças na pandemia. Para a psicóloga Muriel Coelho, o distanciamento social potencializou a ansiedade e pode ter gerado “um quadro de fobia social de fato”.

Queda continua

A Quarta-Feira de Cinzas trouxe o fim do carnaval e outra redução das médias de casos e mortes por covid. Segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass): 51 mil casos e 512 mortes, em média.

Pergunta na lacrolândia

De que adianta a Fifa usar questões humanitárias para excluir a Rússia da Copa do Mundo e manter a competição no Catar?

PODER SEM PUDOR

Bombardeio aéreo

No governo José Sarney, o líder baiano Roberto Santos era o ministro da Saúde e o filho do então ministro da Aeronáutica era titular da Secretaria de Vigilância Sanitária. Os dois brigaram por causa de um caso de contaminação de sucos de frutas.

Sobrou para o rapaz, sumariamente demitido.

Mas reza a lenda que ele se vingou, promovendo atos do mais genuíno terrorismo à brasileira: piloto de ultraleve, fazia voos rasantes sobre a casa de Santos, na Península dos Ministros, em Brasília. Megafone em punho, berrava:

“Vou jogar suco na sua piscina!”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Pandemia perde força no Brasil e no mundo
Presidente Jair Bolsonaro não vem à Expodireto, mas prepara anúncios para o agro
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa