Sábado, 21 de Maio de 2022

Home Rio Grande do Sul No Litoral Norte gaúcho, brigadianos passam a utilizar câmeras em seus coletes

Compartilhe esta notícia:

Câmeras instaladas no fardamento do efetivo da Brigada Militar (BM) no Litoral Norte do Estado já fazem parte dos equipamentos utilizados na rotina dos policiais. Nesta semana, o Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) do Litoral recebeu 14 dispositivos – conhecidos como “bodycam” – e destinou o lote ao 2º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (BPAT), após instruções do Departamento de Informática.

São quatro câmeras utilizadas por equipes de Força Tática, Ronda com Apoio de Motocicletas (Rocam) e Canil em Osório, mais dez no efetivo do policiamento ostensivo em Capão da Canoa. O dispositivo permanece acoplado ao colete balístico, na altura do tórax, e possibilita filmar a atuação dos policiais, tanto durante o dia quanto à noite.

O equipamento tem autonomia para gravar durante 12 horas ininterruptas. Após o turno de trabalho, o policial devolve a câmera a um setor específico de sua unidade e as imagens são transmitidas para um servidor digital que armazena as gravações. O acesso aos registros é exclusivo do Comando-Geral da corporação.

A tecnologia assegura que as imagens não sejam copiadas diretamente da câmera por nenhum dispositivo. De acordo com o titular do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) do Litoral, coronel Leandro Oliveira da Luz, a iniciativa proporciona transparência às ações do policiamento, em favor da sociedade e do próprio servidor da Brigada Militar.

Os equipamentos destinados ao CRPO Litoral foram oferecidos por uma empresa para uso experimental pela Brigada, que poderá adquiri-los se o projeto-piloto for aprovado. As câmeras devem permanecer no Litoral Norte após o encerramento do “RS Verão Total”, antiga “Operação Golfinho”.

As Polícias Militares dos Estados de Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais já contam com esse tipo de recurso. E outras unidades federativas do País já estão aderindo à ideia, adotada com êxito em países como os Estados Unidos.

Censo

O Departamento Administrativo da Brigada Militar lançou o livro referente ao primeiro censo da corporação. Em destaque, uma análise quantitativa e qualitativa de dados obtidos pela pesquisa, em um trabalho que ajuda a compreender aspectos sobre o perfil do efetivo policial, necessidades, vulnerabilidade e situação socioeconômica.

Para isso, foi ouvido todo o contingente. “A posse dessas informações facilitará a programação de políticas institucionais de valorização profissional e qualidade de vida”, ressalta a BM. Isso inclui dificuldades no exercício das atividades, questões de saúde física e mental, moradia, clima organizacional, amparo ao brigadiano e sua família.

Também contribuirá para embasar a adoção de planos continuados de investimento em materiais de comunicação, viaturas, armamento, fardamento e tecnologia da informação. “Olhar o presente, respeitar o passado, identificar as demandas e projetar um futuro melhor para todos os profissionais da Brigada constituíram questões norteadoras para a execução deste trabalho”, acrescenta a corporação. Mais detalhes em brigadamilitar.rs.gov.br.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

União com empresas viabilizará programa de GLP para baixa renda, diz Petrobras
Comarcas de Justiça do Litoral Norte gaúcho têm reforço de juízes e equipes durante o veraneio
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News