Segunda-feira, 23 de Maio de 2022

Home Colunistas Olhos da cara

Compartilhe esta notícia:

E a gasolina, hem? Ficou 67 dias comportada, sem aumento. Mas na quarta-feira veio o anúncio. O combustível subiu 10 centavos por litro. O bolso geme.

A língua também. Repórteres e comentaristas dizem que o preço ficou mais caro. Bobeiam. Preço caro? É redundância. Caro encerra a ideia de preço. Barato também. Produtos ou serviços são caros ou baratos. Preço é alto, baixo, elevado.

É assim: Os remédios estão caros. (O preço dos remédios está alto.) A gasolina está cara. (O preço da gasolina está alto.) O diesel é mais barato que a gasolina. (O preço do diesel é mais baixo que o da gasolina.)

Que barato!

A origem de barato? Só podia ser ela. A palavra vem do povo que mais sabe negociar no mundo. É o árabe. No idioma de Maomé e no de Camões, mantém o significado: baixo preço. Ora, o bolso é a parte mais sensível do corpo. Daí por que nasceu a expressão “o maior barato”. Eta coisa boa!

Bebida e direção

“Se beber, não dirija”, alerta o Detran. Dizem que a mensagem se tornou inútil. A razão: com o preço do combustível nas alturas, a alternativa é abastecer ou beber.

Mas a língua não tem nada com isso. O emprego da vírgula mantém-se alheio ao sobe e desce da bomba de gasolina. Se a condição vier na frente da oração principal, caracteriza-se a ordem inversa. A vírgula pede passagem. Compare: Se beber, não dirija. Não dirija se beber. Se sair, apague a luz. Apague a luz se sair. Se encher o tanque, não bebo. Não bebo se encher o tanque.

É assim

O substantivo derivado do verbo conduzir é condução. De traduzir é tradução. De seduzir é sedução. De reduzir é redução. Moral da história: substantivos derivados de verbos terminados em -uzir escrevem-se com ç.

Sem privilégios

Moeda se escreve sempre com letra minúscula: real, dólar, libra, peso.

Não é

Na live das quintas-feiras, Bolsonaro disse que a variante ômicron é bem-vinda porque vai promover a imunização de rebanho. Todo mundo se contagia e termina a pandemia. Será?

A Organização Mundial da Saúde respondeu: “Nenhum vírus que mata é bem-vindo”. Enquanto dura o bate-boca, vale a dica: bem-vindo se escreve assim, com hífen.

Ômicron

Por que ômicron se escreve com acento? Por que é proparoxítona. Na língua nossa de todos os dias, as proparoxítonas são sempre acentuadas: lâmpada, fósforo, estávamos.

Autoteste

Há escassez de testes de coronavírus nas farmácias. E agora? O Ministério da Saúde pediu à Anvisa que regulamente o autoteste. Assim, cada um fará o próprio teste. Ao escrever o documento, pintou a dúvida: autoteste ou auto-teste?

O prefixo auto- segue as regras de ouro do emprego dos prefixos. São elas:

1. O h é majestoso. Não se mistura. O prefixo, seguido de palavra grafada com h, pede o tracinho: auto-história, auto-higiene.

2. Letras iguais se rejeitam: auto-organização, auto-ordem.

3. Letras diferentes se atraem: autoescola, automassagem.

Férias

Cadê o … sol ou Sol? Letra maiúscula quando nomear o astro (eclipse do Sol). Letra minúscula quando nomear a luz do Sol: É bom tomar sol até as 11 horas. O sol do meio-dia é prejudicial à pele. Tomo sol todos os dias.

Leitor pergunta

Quem desafia a pandemia e ousa viajar para gozar férias tem sido surpreendido pelo cancelamento de voos. Minha pergunta: voo perdeu o acento? — Miro Souza, Rio.

Perdeu. A reforma ortográfica cassou o chapéu do hiato oo: coroo, perdoo, abençoo, coroo, voos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Dor nas articulações? Saiba como identificar e resolver este problema
A economia brasileira sobreviveu, apesar da gestão da pandemia por governadores e prefeitos
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa