Domingo, 29 de Maio de 2022

Home Cláudio Humberto Pacheco cria comissão para tentar esvaziar Lira

Compartilhe esta notícia:

A comissão para discutir a “atualização” da Lei do Impeachment foi recebida por deputados do Centrão como uma jogada do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), para tentar tirar das mãos do presidente da Câmara a prerrogativa de instaurar processo de impeachment de presidente da República. “Ele não ousaria tanto”, descarta importante líder do Centrão diante da suposta tentativa de Pacheco de capturar o poder invejável, hoje nas mãos de Arthur Lira.

Sem surpresa

Chamou a atenção dos deputados o convite ao ministro Ricardo Levandowski, de alegadas ligações do PT, para presidir a comissão.

Na Câmara não passa

O objetivo de Pacheco, no entanto, seria apenas “lacrar”, porque sabe que a alteração que ele pretende na lei jamais passaria pela Câmara.

Sem comentários

O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), indagado pela coluna, preferiu não comentar a jogada de Rodrigo Pacheco.

Trancado na gaveta

O presidente roda-presa do Senado trancou na gaveta pedidos de impeachment de sua alçada, contra ministros do Supremo.

Se quiser, senador Heinze será mesmo ministro

O senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS) está cada vez menos irritado com o iminente convite para substituir Tereza Cristina, no Ministério da Agricultura. Ele sonha concluir sua carreira política governando seu Estado, mas certamente já avalia que contar no currículo o cargo de ministro pode ser boa saída. O candidato conservador ao governo do Rio Grande do Sul será mesmo Onyx Lorenzoni, ministro do Trabalho.

Ministra vai sair

Tereza Cristina já trabalha sua candidatura ao Senado, no Mato Grosso do Sul, mas é forte opção para vice do presidente Bolsonaro.

Forte no interior

Luiz Carlos Heinze é eleitoralmente muito forte no interior gaúcho, mas se complica nos centros urbanos. Noves fora, não é favorito.

Opções para Heinze

A opção de Bolsonaro é apoiar Onyx Lorenzoni, seu afilhado de casamento. Seu sonho é contar com Heinze ministro ou vice de Onyx.

Disputa acirrada

O vice Hamilton Mourão não terá vida fácil, como candidato a senador. Terá de enfrentar o atual ocupante da vaga, Lasier Martins (PSD), a ex-senadora Ana Amélia e a sempre derrotada Manoela Dávila (PCdoB).

Barriga cheia

O presidente da Associação Nacional de Desembargadores (Andes), Marcelo Buhatem, reclamou “reposição inflacionária” no dia em que se revelou que 4 mil magistrados ganham acima do teto de R$39,3 mil.

Múmia Paralítica

A hesitação paralisante já rendeu ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o apelido de “Múmia Paralítica”. É referência ao personagem do genial Agildo Ribeiro, dos tempos em que era livre fazer humor.

Legado cara-de-pau

Após Lula dizer que o legado do PT é maior que os erros, o deputado Alceu Moreira (MDB-RS) lembrou a tal herança: mensalão, petrolão, desvios do BNDES, fraudes nos fundos de pensão… e bote etc nisso.

Efeito e causa

O cientista político Paulo Kramer vê a Rússia recuperando a influência soviética na Europa pela inércia ocidental. “Biden, Macron etc são fortes candidatos ao Pétain de Ouro/2022, o Oscar do passapanismo”.

Contradição

O livro “Lavagem de Dinheiro”, do advogado André Callegari, poderia virar best-seller se o autor não frequentasse os tribunais se virando nos trinta em defesa de acusados desse crime e de outros, mais graves.

Ponte da inovação

Ministério da Infraestrutura anunciou sistema 100% digital no embarque de passageiros da ponte aérea Rio-SP. Em testes desde outubro de 2020, a inovação vem da cooperação técnica entre Infraero e Serpro.

Prevenir é melhor

O governador do DF, Ibaneis Rocha, determinou abertura de 100 novos leitos para tratar covid. Segundo ele, também foram investidos R$32 milhões para contratar médicos e enfermeiros para a linha de frente.

Pensando bem…

…sem CPI, a turma do holofote está mais preocupada com o “tempo de TV” do que com investigações.

PODER SEM PUDOR

Quinze motivos

Eleito governador de Minas Gerais em 1982, Tancredo Neves foi logo pressionado pelo vice, Hélio Garcia, a nomear um José Geraldo para o importante cargo de secretário de Obras. Tancredo recusou a indicação, mas Garcia insistiu, certo de que era uma boa ideia, até pela qualificação do indicado. Tancredo descartou: “Não posso nomear para a Secretaria de Obras alguém que se chama José Geraldo e é chamado de ‘Quinzinho’”… Não se falou mais no assunto.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Covid: casos despencam e óbitos diminuem
“Negacionista”, Bolsonaro vacinou mais que Biden
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada