Sábado, 02 de Julho de 2022

Home em foco Pacientes com a variante ômicron se internam com menos frequência e por um período menor de tempo

Compartilhe esta notícia:

Um estudo preliminar feito nos Estados Unidos com quase 70 mil pessoas que testaram positivo para covid-19 mostrou um risco substancialmente reduzido de hospitalização e morte pela ômicron.

Segundo os cientistas, em comparação com a variante delta, pessoas infectadas com a ômicron:

— Têm metade da probabilidade de serem hospitalizadas;

— 74% menos chances de precisar de cuidados intensivos (UTI);

— 91% menos probabilidade de morrer.

Além disso, nenhum paciente com ômicron precisou de ventilação mecânica.

As hospitalizações dos pacientes com a ômicron duraram, em média, 1,5 dia e 90% das pessoas receberam alta em três dias ou menos.

A análise foi realizada com dados do sistema hospitalar Kaiser Permanente, na Califórnia. Cerca de 4,7 milhões de pessoas foram atendidas entre 1º de dezembro de 2021 e 2 de janeiro de 2022.

“Este estudo monitorou parâmetros-chave importantes, como idade, sexo, infecção prévia por SARS-CoV-2, vacinação prévia e comorbidades”, afirmou a diretora dos CDC, Rochelle Walensky.

Embora o estudo tenha observado uma redução na eficácia da vacina contra a infecção pela ômicron, também encontrou uma proteção contínua substancial contra casos graves.

“Embora menos grave, a ômicron é muito mais transmissível e estamos vendo o impacto sem precedentes: mais de 1 milhão de casos em um dia, 99% dos municípios com alta transmissão e sistemas de saúde sobrecarregados. Proteja-se contra a covid-19: vacine-se, tome o reforço, use máscara e fique em casa se estiver doente”, completou a diretora dos CDC.

Fauci

A variante ômicron do novo coronavírus infectará “quase todo mundo”, independentemente do status de vacinação, disse o principal especialista em doenças infeccionas dos Estados Unidos, Anthony Fauci. Porém, pessoas vacinadas devem responder melhor às infecções.

Segundo ele, aqueles que foram vacinados “muito provavelmente, com algumas exceções, se sairão razoavelmente bem” e evitarão hospitalização e morte, disse Fauci, falando em um evento virtual com o Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais.

Fauci também disse em uma audiência no Senado no mesmo dia que os não vacinados são 20 vezes mais propensos a morrer, 17 vezes mais propensos a serem hospitalizados e 10 vezes mais propensos a serem infectados do que os vacinados.

“Aqueles que ainda não foram vacinados sofrerão o impacto do aspecto grave disso”, disse ele, referindo-se ao aumento de casos. “E embora seja menos grave caso a caso, quando você tem quantitativamente tantas pessoas infectadas, uma fração delas vai morrer”, disse ele.

Um funcionário da Organização Mundial da Saúde estimou que a variante ômicron infectará mais da metade da população na região europeia nas próximas seis a oito semanas, se as tendências atuais se mantiverem.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Associação de laboratórios sugere suspender testagem de casos leves de covid em razão do estoque baixo. Governo diz que compra cabe a Estados e municípios
Dólar cai para o menor valor em dois meses
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde