Quinta-feira, 19 de Maio de 2022

Home em foco Polônia se diz pronta para entregar todos os seus caças aos Estados Unidos para que sejam enviados à Ucrânia

Compartilhe esta notícia:

A Polônia está pronta para mobilizar todos os seus jatos MIG-29 para a Base Aérea de Ramstein, na Alemanha, e colocá-los à disposição dos Estados Unidos, e pediu aos outros membros da Otan que possuem aviões desse tipo que façam o mesmo, disse o Ministério das Relações Exteriores nesta terça-feira (8).

Parlamentares dos EUA pressionaram o governo do presidente Joe Biden na última segunda (7) a facilitar a transferência de aviões de combate da Polônia e outros países da Otan e do Leste Europeu para a Ucrânia, após um apelo no sábado do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

“As autoridades da República da Polônia… estão prontas para enviar – imediatamente e gratuitamente – todos os seus jatos MIG-29 para a Base Aérea de Ramstein e colocá-los à disposição do governo dos Estados Unidos da América”, acrescentou o ministério.

“Ao mesmo tempo, a Polônia solicita aos EUA que nos forneçam aeronaves usadas com capacidades operacionais correspondentes. A Polônia está pronta para estabelecer imediatamente as condições de compra dos aviões.”

A Polônia está apoiando Kiev com armas defensivas, mas disse que não enviaria jatos para a Ucrânia, pois não é parte direta do conflito entre a Ucrânia – que não é aliada da Otan – e a Rússia.

“Qualquer decisão sobre a entrega de armas ofensivas deve ser tomada por toda a Otan e por unanimidade”, disse o primeiro-ministro Mateusz Morawiecki durante uma entrevista coletiva conjunta com seu colega norueguês em Oslo.

“É por isso que estamos prontos para entregar toda a nossa frota de caças a Ramstein, mas não estamos prontos para fazer qualquer movimento por conta própria porque, como eu disse, não fazemos parte desta guerra”, acrescentou.

Novos bombardeios foram confirmados na Ucrânia nas últimas horas: 65 quilômetros de tropas russas avançaram em direção a capital Kiev, e estão a apenas 25 quilômetros de distância. A resistência, no entanto, continua: ucranianos anunciaram que mataram um importante general russo.

Discurso

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu ao primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que o Reino Unido reconheça a Rússia como um “estado terrorista”.

Ele participou nesta terça, por meio de um vídeo, de uma sessão do Parlamento britânico. Na gravação, Zelensky disse que os ucranianos não querem perder seu país.

Ele ainda pediu mais apoio da comunidade internacional para o enfrentamento contra a Rússia. Ao fim de seu pronunciamento, os representantes do Parlamento britânico o aplaudiram de pé.

“O terror russo é contra o mundo todo”, disse o líder ucraniano.

Para se aproximar dos deputados, Zelensky citou símbolos britânicos como Shakespeare e Winston Churchill no discurso.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Presidente da Ucrânia diz que “moderou” exigência de adesão do país à Otan e pode negociar territórios
Saiba o que a China tem a perder ao apoiar a Rússia na guerra contra a Ucrânia
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde