Quinta-feira, 26 de Maio de 2022

Home em foco Primeira-ministra da Nova Zelândia cancela cerimônia de casamento com alta de casos de covid

Compartilhe esta notícia:

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, cancelou seu casamento no momento em que o governo impõe novas restrições para retardar a propagação comunitária da variante Ômicron da Covid-19. O anúncio foi feito pela própria premier no domingo (23).

O país vai estabelecer medidas obrigatórias ao uso de máscara e decidiu limitar os encontros a partir da meia-noite de domingo, depois que nove casos de infecção pela nova cepa foram registrados, após um casamento, como contaminação comunitária nas ilhas do Norte e do Sul.

Uma família voltou de avião a Nelson, na ilha Sul da Nova Zelândia, após participar de um um casamento e outros eventos em Auckland, na ilha Norte. A família e um comissário de bordo realizaram testes que comprovaram a infecção.

A Nova Zelândia vai passar para o nível vermelho em sua estrutura de proteção contra a Covid-19, com mais uso de máscaras pela população. Os ambientes internos, como bares e restaurantes, e eventos como casamentos terão o limite máximo de 100 pessoas. O limite é reduzido para 25 pessoas se os locais não estiverem cobrando passes de vacinação, disse Ardern.

“A cerimônia do meu casamento não vai se realizar”, disse ela aos repórteres, acrescentando que lamentava que alguém estivesse em situação parecida. Ardern não havia revelado a data de seu casamento, mas rumores circulavam de que a celebração estava próxima.

Consciência

Perguntada por repórteres como ela se sentiu sobre o cancelamento do casamento com o parceiro de longa data e apresentador de um programa sobre pesca, Clarke Gayford, Ardern respondeu que “a vida é assim”.

“Não sou diferente, quero deixar claro, de milhares de outros neozelandeses que tiveram impactos muito mais devastadores sentidos por causa da pandemia, sendo o pior deles a incapacidade de estar com um ente querido, às vezes quando este está gravemente doente. Isso supera, de longe, qualquer tristeza que eu sinta”, acrescentou.

As fronteiras da Nova Zelândia estão fechadas para os estrangeiros desde março de 2020. O governo adiou os planos para o início de uma reabertura em fases de meados de janeiro até o final de fevereiro por preocupação com um possível surto da Ômicron, como na vizinha Austrália.

As pessoas com permissão para viajar à Nova Zelândia, sob raras exceções, devem se inscrever para permanecer em instalações de quarentena administradas pelo Estado. Na semana passada, o governo parou de emitir quaisquer novas vagas em meio a um aumento do número de pessoas que chegam com a Ômicron.

Cerca de 94% da população da Nova Zelândia com mais de 12 anos estão totalmente vacinados, e cerca de 56% das pessoas elegíveis já receberam doses de reforço.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Entidades criticam “sabotagem” contra a vacinação infantil
Bolsonaro sanciona Orçamento de 2022, diz Planalto
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Bom Dia