Quinta-feira, 13 de Junho de 2024

Home em foco Rússia ameaça veículos de comunicação por causa da cobertura de invasão

Compartilhe esta notícia:

O órgão de controle de comunicações da Rússia acusou 10 veículos de comunicação do país de retratar falsamente o que a Rússia chama de “operação militar especial na Ucrânia” e de distribuir informações falsas.

Um dos veículos advertidos foi o “Novaya Gazeta”, um jornal crítico do governo e cujo editor-chefe, Dmitry Muratov, recebeu o prêmio Nobel da Paz no ano passado. Outra ameaça foi feita ao Echo Moskvy, uma estação de rádio popular.

O órgão regulador deu ordem para que os jornais, sites e rádios apaguem informações que estão no ar.

“Exército de TI”

Ao mesmo tempo que se defende dos avanços russos em seu território, a Ucrânia também pede ajuda de voluntários para travar uma guerra cibernética. No sábado (26), o ministro de Transformação Digital ucraniano, Mykhailo Fedorov, convocou um “exército de TI” para ajudar a Ucrânia no front digital.

Em uma mensagem postada no perfil oficial de Fedorov, há uma convocação de especialistas em tecnologia da informação dispostos a ajudarem os ucranianos. A mensagem encaminha para um canal de Telegram para que voluntários recebam tarefas para ajudar o país.

“Estamos criando um exército de TI. Nós precisamos de talentos digitais.” As primeiras missões já foram postadas no canal para os especialistas em tecnologia. “Nós continuamos lutando no front cibernético”, afirma o ministro ucraniano.

A primeira “missão” pede que os voluntários realizem ataques de negação de serviço (DDoS) para derrubar sites de empresas, bancos e do governo da Rússia. No começo do sábado, um ciberataque deixou o site oficial do Kremlin fora do ar.

O site oficial do governo russo saiu do ar em meio à ofensiva da Rússia ao território da Ucrânia. A queda da página oficial do Kremlin é o resultado de uma série de ataques cibernéticos feitos aos endereços do governo russo e da mídia estatal, informa a agência de notícias Reuters.

Desde de a última quinta-feira (23), diversas páginas relacionadas ao governo russo estão indisponíveis, incluindo o site da câmara baixa Duma e do Ministério de Defesa da Rússia. A ofensiva hacker foi confirmada pelo observatório NetBlocks, que monitora a liberdade de acesso à internet.

O DDoS é um tipo de ciberataque em que criminosos usam várias máquinas para enviar solicitações a um servidor para sobrecarregá-lo e impedir que ele seja usado por usuários verdadeiros.

Antes mesmo da ordem de Vladimir Putin para que as tropas russas invadissem a Ucrânia, o país já era alvo de ataques digitais.

Na quarta-feira (23), sites do governo ucraniano ficaram fora do ar após serem atingidos por cibercriminosos. As empresas de segurança digital ESET e Symantec identificaram que centenas de computadores no país foram alvo de um data wiper, que limpa informações da máquina.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Tropas russas destroem barragem ucraniana que bloqueava água para Crimeia
Presidente da Ucrânia agradece voto do Brasil em Conselho da ONU
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News