Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Home Esporte Seleção Brasileira de vôlei vence a Argentina de virada em clássico pela Liga das Nações

Compartilhe esta notícia:

Na reedição da disputa da medalha de bronze na Olimpíada de Tóquio, a renovada seleção masculina de vôlei foi melhor e venceu de virada a Argentina, por 3 a 2 (19/25, 25/19/ 23/25, 25/23, 15/13), nesta quinta-feira. Mesmo com “apagões” no meio de sets, o Brasil teve cabeça e raça para buscar o resultado positivo.

Para vencer a Argentina, a seleção mostrou força de conjunto. Renan rodou bastante o elenco e jogadores como Honorato, Judson e Bruninho, que vieram do banco, foram essenciais para o resultado positivo no Canadá.

O time ainda tomou um susto quando Alan deixou a quadra no meio do terceiro set. O jogador rompeu o tendão de Aquiles na temporada passada e voltou agora à seleção. Felizmente, aparentemente foi apenas um desconforto e a comissão decidiu poupar o jogador. Abouba entrou em seu lugar e teve grande atuação.

Destaques

Alan vinha sendo o grande destaque do Brasil, mas sentiu um desconforto na panturrilha e precisou sair no terceiro set. Honorato entrou bem no jogo e, apesar de alguns erros, foi fundamental pro Brasil equilibrar o jogo. Pela Argentina, o levantador De Cecco deu uma aula. Bruno Lima foi o grande pontuador, com 20 pontos.

Próximos jogos

O Brasil volta à quadra no sábado, contra Cuba, e encerra a primeira semana contra os Estados Unidos, no domingo. Todos os jogos terão transmissão ao vivo do sportv2. O ge acompanha em tempo real.

Na tabela

O Brasil está em segundo, empatado com a Polônia, com duas vitórias e cinco pontos. A Argentina está em quarto, com quatro pontos.

O jogo

As equipes começaram fazendo um bom jogo, equilibrado e com grandes rallys. A Argentina conseguiu abrir vantagem num contra-ataque virado na diagonal curta por Bruno Lima (11 a 9). O próprio Bruno foi pro saque, forçou o erro de Thalles e Vicentim botou no chão (12 a 9). O Brasil até reagia, tirava um ou outro ponto, mas logo errava e não conseguia encostar. Aí veio o primeiro apagão. No ace de De Cecco, os hermanos abriram 19 a 14. Renan tentou a inversão 5-1, mas só piorou a situação. Sem conseguir esboçar reação, a seleção viu a Argentina fechar o primeiro set em 25 a 19 em ataque para fora de Alan.

A Argentina abriu de cara três a zero no segundo set com um bloqueio de Bruno Lima em Lucarelli. O Brasil criava situações de contra-ataque, mas não conseguia virar. Flávio achou um ace e diminuiu para 9 a 8. Honorato entrou no lugar de Adriano para tentar ajudar a resolver esse problema. E deu certo. Aos poucos, o Brasil foi tirando a vantagem, principalmente com Lucarelli e Alan, e colocando pressão nos rivais. Bruno Lima atacou para fora e ficou tudo igual (12 a 12). Lucarelli parou o oposto hermano e abriu vantagem (19 a 16). Em bola de xeque de Honorato, a seleção devolveu o placar do set anterior: 25 a 19.

O Brasil começou muito perdido em quadra no terceiro set. Errando bastante, deixou a Argentina abrir 6 a 1, principalmente com contra-ataques em cima do levantador Cachopa, o mais baixo em quadra. Renan então trocou Cachopa por Bruninho para tentar mudar o ritmo de jogo. Mas foi na linha de saque que a seleção apertou. Alan e Honorato fizeram aces e a vantagem hermana caiu para 10 a 8. Em mais uma passagem de Alan pelo saque, ele sentiu um desconforto e foi substituído por Abouba. Loser parou Flavio no bloqueio e voltou a abrir quatro para a Argentina (19 a 15). Nervoso, o Brasil abriu o baú dos erros em mais um “apagão”. Lucarelli atacou para fora e a vantagem rival foi a 22 a 15. Bruninho foi para o saque, conseguiu uma boa sequência e diminuiu para 23 a 20. Depois, foi a vez de Lucarelli encaixar dois bons saques. Arthur Bento parou Lima e fez 24 a 23. Lucarelli teve a chance de empatar, mas em bola difícil acabou batendo para fora. Vitória argentina por 25 a 23.

Alan seguiu fora no quarto set e Abouba continuou em seu lugar. E foi pelas mãos dele que o Brasil abriu 3 a 1. Bruno Lima atacou para fora, ampliando a vantagem para 4 a 1. Mas a Argentina foi buscar aos poucos. Thalles errou o passe e a bola voltou para a Argentina. Bruno Lima colocou no chão e virou para 10 a 9. De novo, a seleção sofreu um apagão no meio do set e permitiu que o rival 14 a 11. Renan fez a inversão com Cachopa e Arthur Bento improvisado como oposto. No saque do garoto, a seleção teve o contra-ataque e encostou em 18 a 17. Abouba, que entrou muito bem, não desperdiçou o contra-ataque e empatou no 21 a 21. A virada veio com uma bola que passou de graça e Bruninho levantou de primeira para Lucarelli: 23 a 22. Judson, outro que entrou muito bem na partida, sacou curtinho, quebrou a jogada argentina e, no contra-ataque, Lucarelli fechou a parcial em 25 a 23.

No tie-break, Honorato conseguiu virar contra-ataque do Brasil e fez 4 a 2. Mas Loser fez um ace e empatou. O jogo ficou tenso e muito bem jogado. As duas equipes trocavam pontos e não conseguiam desgarrar no placar. Até que Abouba fez bom saque e Judson bateu de xeque, fazendo 13 a 11. Logo em seguida, o próprio Judson bateu para baixo demais, a bola pegou na fita e foi para fora: 13 a 13. Cachopa e Arthur Bento entraram na inversão e foram fundamentais para a virada. O levantador defendeu o ataque adversário, o garoto botou na pinta para Lucarelli explorar o bloqueio e fechar em 15 a 13.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Tênis: Djokovic vence Alcaraz e avança à final de Roland Garros
Seleção Brasileira feminina sobe uma posição no ranking da Fifa a menos de um mês da Copa do Mundo
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde