Quarta-feira, 08 de Dezembro de 2021

Home em foco Tragédia na Europa: 31 morrem após bote de imigrantes afundar no Canal da Mancha, na travessia entre França e Reino Unido

Compartilhe esta notícia:

Ao menos 31 pessoas morreram depois que o bote onde elas estavam naufragou enquanto tentavam atravessar o Canal da Mancha da França para o Reino Unido, nesta quarta-feira (24), de acordo com o prefeito da cidade de Teteghem. Segundo o jornal “La Voix du Nord”, citando fontes oficiais, o número chegou a 33.

As autoridades locais haviam dito anteriormente que cinco imigrantes haviam se afogado, mas que era provável que o número aumentasse porque vários dos resgatados se encontravam em estado grave.

Franck Dhersin, prefeito de Teteghem e vice-presidente de Transportes para a Região Norte da França, foi quem anunciou as mortes.

O Ministro do Interior da França, Gerald Darmanin, disse que estava indo para o local. “Forte emoção diante da tragédia de numerosas mortes devido ao naufrágio de um barco de imigrantes no Canal da Mancha”, escreveu ele em um tuíte.

Dois helicópteros e três barcos da polícia ou de resgate estavam no local, disseram as autoridades locais.

Um pescador, Nicolas Margolle, disse que havia visto dois pequenos barcos mais cedo nesta quarta-feira, um com pessoas a bordo e outro vazio.

Ele disse que outro pescador havia chamado a operação de resgate depois de ver um bote vazio e 15 pessoas flutuando sem movimento por perto, inconscientes ou mortas.

Ele confirmou que havia mais barcos nesta quarta-feira porque o tempo estava bom. “Mas está frio”, acrescentou Margolle.

No início da quarta-feira, um grupo de mais de 40 migrantes foi visto indo em direção ao Reino Unido em um bote.

O Canal da Mancha é uma das rotas de navegação mais movimentadas do mundo e as correntes são fortes. Os barcos pequenos muitas vezes ficam à mercê das ondas.

Embora a polícia francesa esteja impedindo mais travessias do que em anos anteriores, as ações interromperam só parcialmente o fluxo de migrantes que querem chegar ao Reino Unido, no que se tornou uma das muitas fontes de tensão entre Paris e Londres.

Acidente na Bulgária

Ao menos 45 pessoas, incluindo 12 crianças, morreram na terça-feira (23) em um acidente com um ônibus na Bulgária, no pior acidente rodoviário da história do país dos bálcãs.

O veículo levava turistas da Macedônia do Norte, que voltavam de uma viagem à Turquia, e colidiu com uma barreira de proteção lateral da rodovia. Ainda não se sabe se o ônibus pegou fogo antes ou depois da batida.

“O motorista morreu na hora, então ninguém conseguiu abrir as portas para permitir que os passageiros escapassem das chamas”, disse o chefe de polícia local.

“As pessoas foram reduzidas a cinzas”, afirmou o ministro do Interior búgaro, Boyko Rashkov. “A imagem é apavorante, apavorante. Nunca vi nada parecido”.

Sete pessoas conseguiram sair do ônibus em chamas, pulando pelas janelas, e foram levadas a um hospital de emergências da capital Sófia. Eles sofreram queimaduras e um teve uma perna quebrada, mas estão estáveis, segundo a equipe do hospital Pirogov.

“Os sobreviventes estão traumatizados, perderam parentes, os filhos”, disse Maya Arguirova, diretora do centro de tratamento de queimaduras que recebeu os feridos.

Entre as vítimas estão uma pessoa com cidadania da Sérvia e outra da Bélgica, segundo o primeiro-ministro da Macedônia do Norte, Zoran Zaev. Não está claro se eles estão entre os mortos ou feridos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden convida o Brasil para Cúpula pela Democracia, que visa isolar China e Rússia
Primeira-ministra da Suécia dura apenas 8 horas no poder
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada