Sábado, 02 de Julho de 2022

Home Saúde Veja o que acontece com os espermatozoides após a vasectomia

Compartilhe esta notícia:

A vasectomia é um dos métodos utilizados para evitar uma gravidez indesejada. A cirurgia consiste em fazer pequenas alterações no sistema reprodutor masculino (interromper a passagem de espermatozoides pelo canal conhecido como deferente) para que os homens não liberem espermatozoides durante a ejaculação. No entanto, o corpo masculino continua a produzi-los. É aí que surge o questionamento: para onde vai o espermatozoide?

O testículo humano produz uma quantidade incrível de espermatozoides: cerca de 300 milhões por dia, o equivalente a 12,5 milhões por hora ou 3.500 por segundo.

Antes de saber o que acontece com os espermatozoides após a vasectomia, é preciso entender como funciona sua produção. As células sexuais masculinas são criadas dentro dos testículos em um processo que leva de 65 a 75 dias e é chamado de espermatogênese. Após seu desenvolvimento, os espermatozoides ficam em tubo estreito chamado epidídimo, treinando suas “habilidades de natação” (para ganhar a “corrida” até o óvulo).

Quando totalmente maduros, eles são conduzidos até o ducto deferente – túnel que conecta o testículo à uretra, no pênis. Assim, no momento da ejaculação, os espermatozoides saem do corpo masculino junto com o sêmen, uma mistura de secreções formada pela próstata e vesículas seminais. O objetivo é ajudar o esperma no seu deslocamento até o útero.

A vasectomia consiste no corte dos ductos deferentes, canais que ligam o testículo à uretra. A cirurgia é bem simples e rápida, podendo ser feita no consultório do urologista, com anestesia local e em cerca de 30 a 50 minutos. A recuperação é rápida e o procedimento pode ser realizado no SUS. Para isso, o candidato deve ter mais de 25 anos ou, pelo menos, dois filhos.

Os médicos indicam esperar aproximadamente 12 semanas para que os ductos deferentes estejam completamente vazios de espermatozoides. Em média, são necessárias 20 ejaculações para limpar completamente o canal. Depois desse período é feito um espermograma para certificar que a passagem de espermatozoides foi interrompida. A partir de então, as futuras ejaculações serão compostas de fluido estéril, ou seja, sem capacidade de gerar gravidez.

Vale lembrar que a vasectomia evita a gravidez, mas não protege contra infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Por isso, é importante continuar usando preservativo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Aplicativos viram arma para barrar ligações indesejadas
Vacina da Pfizer para crianças: confira as reações mais comuns
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde