Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Home Esporte Daniel Alves: entidade pede investigação de mãe do jogador após exposição de mulher que o acusa de estupro

Compartilhe esta notícia:

A União Brasileira de Mulheres (UBM) oficializou pedido para que o Ministério Público Federal (MPF) dê abertura a uma investigação criminal contra Daniel Alves e sua mãe, Maria Lúcia Alves, que decidiu expor a vítima do estupro cometido pelo filho. O caso tramita em sigilo judicial, na Espanha.

Segundo a entidade, Maria Lúcia teria cometido crime de violência psicológica contra a mulher, trazido no artigo 147-b do Código Penal Brasileiro, que trata do “dano emocional à mulher que a prejudique e perturbe seu pleno desenvolvimento ou que vise a degradar ou a controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, chantagem, ridicularização, limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que cause prejuízo à sua saúde psicológica e autodeterminação”.

Caso seja condenada, a autora da exposição pode receber de 6 meses a 2 anos de prisão, além de multa.

Em uma postagem nas redes sociais, Lúcia Alves atacou a mulher e questionou se ela estaria realmente sofrendo após o abuso, ao falar que quer indenização. Ela também mostrou, nas publicações, fotos e vídeos da jovem se divertindo em bares e festas nos últimos meses.

O fato repercutiu a imprensa internacional, pois até então, o nome e o rosto da mulher não haviam sido revelados.

Há cerca de um ano, na noite de 30 de dezembro de 2022, o jogador Daniel Alves entrou em uma boate em Barcelona, fez sexo no banheiro da área vip contra a vontade desta mulher. Ele aguarda pelo julgamento, com data marcada para 5 de fevereiro.

Presidente da entidade que representou pela abertura da investigação contra a mãe de Alves, Vanja Andrea diz que a exposição de Maria Lúcia cumpre “um desserviço à luta das mulheres”.

“Faz com que a vítima experimente um processo de mais violento, a difamação de sua imagem e violação de seus direitos mais básicos como o de ir e vir, de se divertir e tentar ser feliz ‘apesar de’”, explica.

Versões

O brasileiro, com passagens por São Paulo, Sevilla e Barcelona, mudou sua versão pelo menos três vezes. Na primeira vez em que falou sobre o caso, em um programa de TV da Espanha, ele afirmou que não conhecida a denunciante. A Justiça de Barcelona determinou que o julgamento do caso de Daniel Alves acontecerá entre os dias 5 e 7 de fevereiro de 2024. As informações são do jornal espanhol “El País”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Daniel Alves completa em janeiro um ano preso sob acusação de estupro
Revolução de 1923 no Rio Grande do Sul é tema de documentário e exposição virtual
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada