Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2022

Home em foco Estados Unidos voltam a impulsionar resultados da JBS/Friboi

Compartilhe esta notícia:

Os Estados Unidos provaram, mais uma vez, por que a JBS depende cada vez menos
do Brasil – em tempos de custos galopantes e embargo chinês, não é uma má notícia
para os acionistas. Maior empresa privada do país, com faturamento anual de quase
R$ 330 bilhões, a companhia dos irmãos Batista registrou um dos melhores
resultados da história no terceiro trimestre.

Puxada pela forte demanda americana por carne bovina, a JBS lucrou R$ 7,6 bilhões no período, mais que o dobro do resultado do terceiro trimestre do ano passado, quando a companhia teve um lucro de R$ 3,1 bilhões. Na mesma base de comparação, a receita líquida aumentou 32,2%, atingindo R$ 92,6 bilhões. Atualmente, o Brasil responde por 25% do faturamento da empresa.

“Às vezes, a gente não se dá conta do tamanho”, afirmou o CEO global da JBS, Gilberto
Tomazoni, em entrevista ao Valor. Os números superlativos ainda não consideram
aquisições feitas recentemente, sobretudo no exterior, que vão agregar US$ 2 bilhões
em vendas anuais ao grupo.

No trimestre, a operação americana de carne bovina foi o principal destaque. A unidade JBS USA Beef (que também contempla as operações no Canadá e na Austrália,
onde a seca ainda afeta a rentabilidade), triplicou o lucro antes de juros, impostos,
depreciação e amortização (Ebitda), que somou R$ 8,4 bilhões, ou 60% do Ebitda
consolidado. A margem Ebitda da divisão pulou mais de dez pontos, para 21,8%, um
novo recorde.

Considerando todos os negócios, o Ebitda da JBS chegou a R$ 13,9 bilhões no trimestre, aumento de 74,2%. A margem do grupo cresceu 3,6%, de 11,4% para 15%.

No Brasil – onde ficam as divisões Seara e Friboi -, os negócios mostraram mais uma vez o peso dos custos (grãos e boi gordo). No trimestre, o Ebitda da Seara caiu 10,2%,
para R$ 984 milhões. Com isso, a margem Ebitda do negócio de frango, suínos e alimentos processados registrou uma contração de 5,5 pontos, para 10,2%. Na Friboi, a
margem Ebitda recuou 1,4 pontos, a 6,1%. Nesse caso, o embargo chinês – anunciado
no fim do trimestre – ainda não teve efeito, e provavelmente derrubará o resultado do
negócio brasileiro de carne bovina no quarto trimestre

Tomazoni disse que o embargo chinês tem um efeito significativo sobre a Friboi, já que
o país responde por 50% da exportação, ou um quarto da receita da divisão. Sem destino para a carne que iria à China, a JBS reduziu abates no Brasil. Porém, a divisão é só uma fração do grupo – 15%.

Financeiramente, os acionistas talvez não tenham muito do que reclamar. Diante do
momento favorável nos EUA e da forte geração de caixa – foram mais de R$ 7 bilhões
em caixa livre no terceiro trimestre -, o conselho da JBS aprovou a distribuição de mais
R$ 2,4 bilhões em dividendos (R$ 1 por ação). Como o grupo já havia pago R$ 5 bilhões em proventos em 2021, o dividend yield fica em 8%. Ao contabilizar as recompras de ações, de R$ 7 bilhões até outubro, o retorno ao acionista já chegou a 15%, destacou o CFO da companhia, Guilherme Cavalcanti.

Ratings

Além de remunerar o acionista, a JBS vem conseguindo fazer aquisições e, ao mesmo
tempo, melhorar as métricas de crédito, cortando despesas financeiras. Recentemente,
o grupo obteve o rating de grau de investimento Moody’ s. Com duas agências de risco
avaliando a JBS assim – a Fitch já havia conferido o selo anteriormente -, Cavalcanti já
nota uma redução potencial do custo de dívida da companhia, o que poderá ser
conseguido com a recompra de bonds em 2022.

Antes do grau de investimento a Moody’s, a JBS calculava que poderia economizar mais US$ 150 milhões em despesas anuais. Com o selo, o mercado secundário de bonds sinaliza essa economia pode chegar mais de US$ 200 milhões – metade disso poderá ser apropriado no ano que vem, de acordo com o CFO.

Nesse cenário de despesas financeiras menores, a JBS vem reduzindo o índice de alavancagem. O indicador passou de 1,61 vez em junho para 1,52 vezes em setembro. Em dólares, saiu de 1,73 vez para 1,49 vez.

No horizonte, a JBS reiterou os planos de listar os negócios em uma bolsa nos Estados
Unidos. “Se nada mudar no horizonte, nós vamos estar listados nos EUA em 2022”,
ressaltou Tomazoni.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Pandemia afeta saúde mental de empreendedores brasileiros, indica pesquisa
Preterido por Bolsonaro, Partido Progressista tenta atrair parlamentares aliados do presidente ‘puxadores de voto’
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde