Domingo, 14 de Agosto de 2022

Home Flávio Pereira Ex-ministro da Defesa, General Braga Neto na vice de Jair Bolsonaro

Compartilhe esta notícia:

O presidente Jair Bolsonaro (PL) fez a opção de manter como vice um general quatro estrelas, tal como ocorre atualmente com o general Hamilton Mourão, pré-candidato ao Senado pelo Rio Grande do Sul. Bolsonaro prepara o anúncio oficial do general da reserva do Exército Walter Braga Netto como vice em sua chapa que concorrerá à Presidência da República nas eleições deste ano. Braga Netto está filiado ao PL, foi ministro da Casa Civil e da Defesa no governo Bolsonaro. Ele deixou o cargo no final de março devido à exigência de não ocupar funções públicas para disputar um cargo eletivo em outubro, como previsto pela legislação eleitoral.

Tereza Cristina vai ao Senado

O presidente Jair Bolsonaro preferiu não mexer no projeto político da ex-ministra da Agricultura Tereza Cristina (PP), que também vinha sendo cogitada como vice. Tereza Cristina é favorita na disputa ao Senado pelo Mato Grosso do Sul, para ocupar a vaga da senadora Simone Tebet. O presidente considera importante o esforço para eleger maioria no Senado Federal.

Tucanos voltam a pressionar MDB gaúcho

O PSDB resolveu segurar a indicação do senador Tasso Jereissati como vice da senadora Simone Tebet. É uma forma de pressionar o MDB gaúcho a desistir da candidatura ao governo e apoiar o candidato Eduardo Leite. Mas, depois da fala do senador Pedro Simon, marcando posição da necessidade do MDB ter candidatura própria no Estado, tudo ficou mais difícil para os tucanos, que podem partir para um projeto solo para a Presidência da República. Simon está incomodado com o que considera um movimento de Eduardo Leite para submeter o MDB aos seus caprichos.

Cacife do ex-governador diminuiu após equívocos

O fato concreto é que depois de dois movimentos desastrados do ex-governador Eduardo Leite – o anúncio à reeleição, contrariando seu discurso. E o pedido de pensão de ex-governador – ficou mais difícil o diálogo do PSDB com eventuais aliados. Os eventuais aliados avaliam os riscos de colar a imagem em Eduardo Leite. Um outro movimento do PSDB poderá criar uma nova área de atrito, ao acolher o senador Lasier Martins na chapa tucana, depois de ter firmado compromisso com a ex-senadora Ana Amélia, do PSD.

Senador Heinze demite o marqueteiro lulista

O senador Luis Carlos Heinze (PP), que coordena os movimentos da sua campanha no Estado, anunciou o desligamento do marqueteiro Marcelo Vitorino, por uma “falta de alinhamento”. O alinhamento com Vitorino ficou difícil, depois que vieram a público entrevistas nas quais o marqueteiro anunciou seu voto no ex-presidiário Lula e que considera o governo do presidente Jair Bolsonaro “um desastre”.

Bandidagem tenta afastar Deltan das eleições

No Brasil, a novidade é que os homens da lei são perseguidos pelos bandidos, alçados à condição de heróis em plena luz do dia e os cidadãos consideram este fato natural. O ministro Bruno Dantas, do TCU, está numa ação obsessiva para enquadrar o ex-procurador da Operação Lava Jato Deltan Dallagnol na lei da Ficha Limpa. Ele faz um pente-fino para apurar suspeitas de recebimento indevido de diárias e passagens pelo ex-procurador Deltan Dallagnol recebidas no exercício da função, durante a operação Lava Jato. O objetivo é inviabilizar a candidatura de Deltan a deputado federal pelo Paraná. No Ministério Público, reina silêncio.

Deltan afirma que uma eventual vitória petista – e seu retorno ao comando do Palácio do Planalto – seria ameaçadora” ao país. “Por mais que eu não goste de muitas atitudes do atual governo, simplesmente não há nada pior ou mais ameaçador para o futuro do Brasil do que o PT e o Lula voltarem para a cena do crime”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Prefeito Sebastião Melo quer desembarque dos cargos no governo tucano
Veto do governo é derrubado por 44 votos na Assembleia
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada