Quinta-feira, 30 de Maio de 2024

Home Flávio Pereira Schirmer diz que, em nome da unidade do MDB, poderá apresentar sua candidatura ao Piratini

Compartilhe esta notícia:

O clima de divisão criado no MDB gaúcho entre os grupos que defendem a aliança com o PSDB, com apoio à candidatura de Eduardo Leite ao Piratini, e os emedebistas que não abrem mão da apresentação de candidato próprio ao governo do Estado, prolonga a tensão interna até domingo, dia 31, data da convenção estadual. O ex-prefeito de Santa Maria e atual vereador em Porto Alegre, Cezar Schirmer, que havia retirado sua pré-candidatura ao governo do Estado, disse ontem ao colunista que pode mudar de ideia até domingo:

“Se for para viabilizar a candidatura própria do MDB, meu nome estará à disposição”, afirmou Schirmer.

Osmar Terra insiste na candidatura própria do MDB gaúcho

O ex-ministro e deputado federal Osmar Terra voltou à carga, defendendo que o MDB gaúcho aprove a candidatura própria na convenção marcada para domingo “sob pena do partido reduzir o número de deputados estaduais e federais, e desaparecer no estado”. Dentre outros argumentos, Terra aponta para o fato de que um eventual apoio à aliança com o PSDB e o ex-governador Eduardo Leite, representaria, na sua opinião, uma contradição do partido. Segundo Osmar Terra “não teria sentido o MDB gaúcho, que é mais de 70% bolsonarista no Rio Grande do Sul, apoiar Eduardo Leite, que se opõe a Jair Bolsonaro”.

PL mantém vaga de vice aberta à espera de alianças

O PL, que aprovou a candidatura do ex-ministro Onyx Lorenzoni ao governo do Estado e o apoio ao vice-presidente Hamilton Mourão em coligação com o Republicanos para o Senado, mantém aberta a vaga de vice-governador. Extra-oficialmente, a vaga fica aberta até o último prazo, na esperança de cedê-la para uma derradeira aliança com o MDB, que está dividido entre a candidatura própria ou o apoio ao ex-governador Eduardo leite, ou para um sonho distante de unir a direita no primeiro turno: trazendo o PP, que já tem o senador Luis Carlos Heinze como candidato a governador e chapa completa definida.

Lasier Martins vai trocar a candidatura ao Senado pela Câmara dos Deputados?

A semana começou com a especulação crescente de que o senador Lasier Martins, que concorre à reeleição, poderá optar por uma candidatura à Câmara dos Deputados. O Podemos aprovou na convenção de domingo o apoio à candidatura de Eduardo Leite (PSDB) ao governo do Estado e à reeleição de Lasier Martins ao Senado. Sobre esta questão, Lasier mandou o seguinte esclarecimento ao colunista:

“A convenção do PSDB no próximo fim de semana não muda nada. Vamos ver como o Eduardo Leite vai formar a chapa, se com ele na cabeça, o vice do MDB ou do União Brasil, e se com dois senadores em igualdade de condições, como admite o TSE. Também resta ver se o PSD irá para a coligação majoritária.”

CNJ recomendou aos tribunais que evitem o abuso do direito de demandar

Há ainda a excessiva judicialização dos contratos, que aumenta os custos para o poder público e para os consumidores. Por conta dessa dificuldade e da necessidade de agilizar processos na justiça relativos a contratos de concessões, no âmbito do chamado PPI, Programa de Parcerias de Investimentos, o Ministério da Infraestrutura e o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) criaram o Comitê de Resolução de Disputas Judiciais de Infraestrutura, responsável pelo tratamento de conflitos judiciais nas PPIs. O resultado prático foi a recomendação do CNJ aos tribunais de todo o país, para que “evitem o abuso do direito de demandar que possa comprometer os projetos de infraestrutura qualificados pelo PPI”.

Gilmar Mendes: “com verba desviada da Petrobras, PT tem dinheiro para eleição até 2038”

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, participou em São Paulo de um seminário na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Segundo ele, o o PT era contra o modelo de financiamento público de campanha porque, com as verbas desviadas da Petrobras, “tem dinheiro para disputar a eleição até 2038” e “deixaria uns caraminguás para os demais partidos”.

“Era uma forma fácil de se eternizar no poder. Pelas contas do novo orçamento da Petrobras, R$ 6,8 bilhões foram destinados à propina. Se um terço disso foi para o partido, eles têm algo em torno de R$ 2 bilhões de reais em caixa. Era fácil disputar eleição com isso.” Para o magistrado, o esquema revelado pela Operação Lava-Jato mostrou que foi instalado no país uma “cleptocracia”, que significa um Estado governado por ladrões. — Ministro Gilmar Mendes, em 19 de setembro de 2015.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

PL oficializa chapa 22: Jair Bolsonaro presidente e general Braga Netto vice.
PSDB puxa o tapete do MDB nacional: Tasso retira candidatura a vice de Simone
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde