Domingo, 22 de Maio de 2022

Home em foco Saiba quem são os oligarcas russos e qual o papel deles no conflito

Compartilhe esta notícia:

Os oligarcas russos estão novamente no centro das atenções internacionais à medida que a crise entre a Rússia, a Ucrânia, a Europa e os Estados Unidos aumenta. Quando a Rússia invadiu a Ucrânia, países como EUA e Reino Unido reforçaram sanções contra os bancos russos e muitos indivíduos, muitas vezes descritos pela imprensa como “companheiros” de Putin.

Aqui, analisamos o que são os oligarcas, como o termo se originou e por que muitos oligarcas russos estão agora sendo alvos de sanções.

A palavra “oligarca” tem uma longa história, mas nos tempos modernos ela adquiriu um significado muito mais específico. Um oligarca no sentido tradicional é um membro ou apoiador de uma oligarquia — um sistema político no qual um pequeno grupo de pessoas governa.

Mas hoje em dia o termo é usado para se referir a um grupo de russos extremamente ricos que ganhou destaque após a queda da União Soviética em 1991.

A palavra “oligarquia” vem do grego “oligoi”, que significa “poucos”, e “arkhein”, que significa “governar”. O sistema é diferente de uma monarquia (o governo de uma pessoa, “monos”) ou uma democracia (o governo do povo, “demos”).

Quem são?

Hoje em dia, um oligarca é uma pessoa ultrarrica que ganhou dinheiro fazendo negócios com o Estado.

Talvez o oligarca mais conhecido no Reino Unido seja o empresário russo Roman Abramovich, proprietário do Chelsea Football Club. Com um patrimônio estimado em US$ 14,3 bilhões (R$ 73 bilhões), ele fez sua fortuna vendendo ativos após a queda da União Soviética que anteriormente pertenciam ao Estado russo.

Em 26 de fevereiro, dois dias depois do início da invasão russa à Ucrânia, Abramovich divulgou um comunicado que dizia que ele havia entregado “a administração do Chelsea FC” à fundação de caridade do clube. Mas ele continuará sendo o dono do clube.

Outro oligarca é Alexander Lebedev, ex-funcionário e banqueiro da KGB, cujo filho Evgeny é o proprietário do jornal London Evening Standard. Evgeny é cidadão britânico e membro da Câmara dos Lordes. Outros países também têm oligarcas, mas esse termo não costuma ser usado como a mesma frequência de quando se trata da Rússia.

O Instituto Ucraniano para o Futuro (UIF), uma organização independente com sede em Kiev, culpa a ampla influência dos oligarcas na sociedade, na indústria e na política ucranianas pela falta de desenvolvimento do país.

Em um relatório, a UIF diz que os “antigos oligarcas” do país prosperaram sob a presidência de Leonid Kuchma (1994-2005) após o colapso soviético na década de 1990. “Os oligarcas ucranianos receberam a maior parte de seus ativos por causa de um conluio com autoridades e via um processo não transparente de privatização. Desde então, o controle sobre o sistema político continua sendo um aspecto fundamental para salvar seus negócios.”

Putin

Quando Putin sucedeu Yeltsin, ele começou a controlar os oligarcas. Aqueles que seguiram alinhados politicamente com Putin tornaram-se ainda mais bem-sucedidos.

Mas alguns dos oligarcas originais que se recusaram a seguir essa linha, como o banqueiro Boris Berezovsky, foram forçados a fugir do país. Mikhail Khodorkovsky, que já foi considerado o homem mais rico da Rússia, vive em Londres hoje em dia.

Quando perguntado sobre os oligarcas em 2019, Putin disse ao Financial Times: “Não temos mais oligarcas”. Mas pessoas com relações muito próximas a Putin conseguiram construir verdadeiros impérios no mundo dos negócios graças ao seu patrocínio.

Boris Rotenberg, que frequentou o mesmo clube de judô que Putin na infância, foi descrito pelo governo do Reino Unido como “um empresário russo proeminente com laços pessoais estreitos” com Putin.

Segundo a Forbes, Rotenberg tem uma fortuna de US$ 1,2 bilhão (R$ 6 bilhões).

Tanto Rotenberg quanto seu irmão Arkady foram alvo de sanções do Reino Unido depois que Putin reconheceu as duas regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste da Ucrânia, como “repúblicas populares”.

A Ucrânia, os EUA, a União Europeia, a Austrália e o Japão também impuseram sanções aos oligarcas russos. Após a invasão russa da Ucrânia, muitas dessas restrições provavelmente serão ainda mais rígidas.

Mas alguns oligarcas seguem sem sanções, como é o caso de Roman Abramovich, dono do Chelsea.

Após a invasão da Ucrânia, parlamentares do Reino Unido pediram que os ativos de Abramovich fossem sancionados, alegando laços estreitos do oligarca com o Kremlin — algo que o bilionário nega.

Abramovich não está sob nenhuma sanção do Reino Unido, da União Europeia ou dos EUA.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Vacina da Pfizer é menos eficaz em criança pequena
Rússia contratou 400 mercenários para matar presidente ucraniano
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News