Domingo, 03 de Julho de 2022

Home Flávio Pereira Bolsonaro muito próximo de anunciar apoio a Onyx no Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

O presidente Jair Bolsonaro tem evitado comentar publicamente a questão do Rio Grande do Sul, onde dois aliados, o ministro Onyx Lorenzoni e o senador Luis Carlos Heinze (PP) pretendem disputar o governo do Estado. Nos bastidores o presidente tem avaliado o tema. A saída que se desenha cada vez mais, será a definição de Bolsonaro por Onyx, responsável pelo projeto de sua candidatura presidencial ainda em 2017. O presidente da República revelou ao colunista em várias ocasiões, que tem no senador Heinze um amigo leal, e mostrou que com ele troca conversas e mensagens quase que diariamente, já nas primeiras horas do dia. O apoio de Bolsonaro em 2018 foi decisivo para a vitória de Heinze na eleição ao Senado. Agora, o momento é outro: a possibilidade da ministra Tereza Cristina concorrer ao Senado no Mato Grosso do Sul, ou até mesmo ser a vice de Jair Bolsonaro, remete a uma composição para que o senador gaúcho reconsidere o projeto maior que está em jogo, evitando a divisão da direita no Rio Grande do Sul. Com isso, ele assumiria o ministério da Agricultura e Abastecimento no final de março. Jair Bolsonaro considera Luis Carlos Heinze o nome certo para ocupar o espaço de Tereza Cristina, cujo trabalho vem sendo elogiado pelas diversas lideranças nacionais do Agro. O ministro da Casa Civil e presidente nacional do PP, Ciro Nogueira, tem conversado com Jair Bolsonaro sobre diversos cenários no país, e sobre esse tema especificamente. Ciro Nogueira admite que seria importante para o PP, comandar um ministério estratégico como o MAPA.

Eduardo Leite apoiando a reeleição?

A reação forte do PSDB nacional à investida do grupo do governador gaúcho Eduardo Leite, buscando desqualificar a prévia, diante do mau desempenho nas pesquisas até aqui, do governador paulista João Dória para a disputa à presidência da República, fez os tucanos gaúchos mudarem a estratégia. Agora, o PSDB tenta convencer o governador a disputar a reeleição. A retirada de João Dória da disputa será muito difícil, e a especulação sobre a troca de partido pelo governador gaúcho para disputar a eleição presidencial não é bem vista dentro, e fora do partido.

O governador, que desde a campanha eleitoral de 2018 se posicionou contra a reeleição, agora, para não ficar quatro anos fora do cenário político, poderá rever esta posição.

Urgência para criminalização do nazismo e do comunismo

O deputado federal Eduardo Bolsonaro iniciou a coleta de assinaturas para o pedido de urgência à votação do PL 4425/2020 que criminaliza nazismo (luta de raças) e comunismo (lutas de classes).

A justificativa de Eduardo Bolsonaro:Nazismo e comunismo geram genocídios. Coleto assinaturas pedindo urgência na votação do projeto, no momento em que autoridades defendem criar partido nazista ou invadem igreja.”

Passaporte vacinal?

O médico e ex-ministro Omar Terra propõe uma reflexão sobre o Passaporte vacinal:Pense: se vacinas da Covid fossem 100% seguras e eficazes, como apregoavam no início, a pandemia já teria terminado(mais de 1 ano de vacinação!). E seria com 2 doses e nada mais. Se não são, como novas doses demonstraram, de que adiantam exigências absurdas como o ‘passaporte vacinal’?”.

Osmar Terra verificou A tabela a totalidade de óbitos ocorridos por coronavírus no Grupo Hospitalar Conceição (maior rede pública de hospitais do Sul do país, com atendimento 100% SUS) durante todo o mês de janeiro e 9 dias de fevereiro e apurou que das 22 mortes, apenas 3 foram de não vacinados. As demais 19, foram de vacinados com uma, duas ou três doses. Foram 90% de vacinados levados a óbito por Covid.

Em Eldorado do Sul, o escândalo do fura fila na Saúde

Em Eldorado do Sul, município da região metropolitana de Porto Alegre, médicos e profissionais da saúde são assediados para furarem a fila em favor de pacientes indicados por políticos, denuncia o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul. O fato foi constatado pontualmente na UBS (Unidade Básica de Saúde) Claudiomiro Kraschefski Negro, no bairro Cidade Verde. Os casos de intromissão política na conduta dos médicos, incluem ameaça e pressões a estes para que furem a fila em benefício de políticos e demais figuras de destaque na administração local. Os médicos que não aceitam a pressão politica para o fura fila na saúde, estão sujeitos a demissões sem indenização alguma.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Adivinhe quem afirmou: “O Hitler, mesmo errado, tinha aquilo que eu admiro num homem…”
Direção do PSDB quer colar imagem de Eduardo Leite em João Dória para alavancar candidatura presidencial
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News