Domingo, 03 de Julho de 2022

Home em foco Reino Unido volta a registra 100 mil casos de covid a cada dia

Compartilhe esta notícia:

O Reino Unido superou nesta quarta-feira (22), pela primeira vez desde o início da pandemia, a marca de 100 mil casos de covid-19 nas últimas 24 horas. O novo recorde, estabelecido em meio à onda provocada pela variante ômicron, deve colocar mais pressão sobre o governo para reforçar as medidas de combate ao vírus, embora o primeiro-ministro Boris Johnson tenha descartado essa
possibilidade antes do Natal.

Mais 106.122 novos casos de covid-19 foram registrados em todo o Reino Unido nas últimas 24 horas, um aumento de 35% em relação à última quarta-feira (15).

Em Londres, a região mais atingida pela disseminação da ômicron, mais 301 pessoas foram internadas no último dia 20, o número mais alto registrado desde o dia 7 de fevereiro, quando a Inglaterra estava sob lockdown.

Johnson está sendo pressionado por seus conselheiros científicos, que dizem que quanto mais cedo o governo agir, menos severa será a onda de casos da ômicron.

No entanto, ele enfrenta uma revolta de um número crescente de integrantes do Partido Conservador, que são contrários às novas restrições.

As últimas medidas anunciadas pelo governo só foram aprovadas no Parlamento britânico graças aos votos do Partido Trabalhista, de oposição a Johnson.

Mais cedo, o Reino Unido anunciou novos acordos com a Pfizer e a MSD para a compra de medicamentos contra a covid-19 que podem ser tomados em casa, como uma forma de reduzir as hospitalizações causadas pela ômicron.

Embora as internações estejam aumentando na Inglaterra, um estudo realizado na Escócia sugeriu que pessoas infectadas pela ômicron correm um risco significativamente menor de hospitalização do que aquelas que contraíram cepas anteriores do vírus.

Os cientistas alertaram, no entanto, para a elevada transmissibilidade da ômicron e sua capacidade de escapar parcialmente à proteção dada pelas vacinas ou por uma infecção anterior. Isso significa que a variante ainda tem o potencial de causar um grande número de internações e mortes simplesmente porque pode infectar uma grande quantidade de pessoas.

“A combinação de maior risco de transmissão e evasão imunológica da ômicron significa que qualquer vantagem na redução da hospitalização poderia ser potencialmente excedida por maiores taxas de infecção na comunidade”, disseram pesquisadores da Universidade de Edimburgo em um artigo que detalha as descobertas.

China em lockdown

Autoridades chinesas ordenaram os mais de 13 milhões de habitantes da cidade de Xian a permanecerem em suas casas, após a imposição de um rígido lockdown nesta quarta para conter um novo surto de covid-19.

O país está em alerta máximo para o surgimento de surtos locais e combate o coronavírus em várias cidades, enquanto Pequim se prepara para receber os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022.

As novas restrições foram impostas após Xian registrar 53 novas infecções por coronavírus nesta quarta – de 57 registradas em todo o país – elevando o total de casos para 143, desde 9 de dezembro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Entrega de vacinas contra covid com insumo nacional fica para 2022
Butantan diz que foi “surpreendido” com pedido da Anvisa por mais dados para avaliar aprovação da Coronavac em crianças
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News